Alanis Morissette

Um dos shows mais aguardados finalmente realiza-se em Porto Alegre: a lendária Alanis Morissette vem ao sul do país pela primeira vez.
Uma noite de muita expectativa, pois esta canadense já  experimentou um bocado durante sua carreira, embora o material mais marcante seja ainda aquele dos primórdios.
O Pepsi On Stage estava lotado. Valores de ingressos não combateram o fanatismo por Alanis Morissette.
Às 22h10min a banda se apresenta ao palco, para uma introdução (The Couch, que volta a ser tocada posteriormente), ainda sem a cantora, que entra em seguida causando uma reação fortíssima.
“Uninvited” é a primeira canção com Alanis ao palco. O clima criado é indescritível. A voz de Alanis se mantém intacta e o show de luzes e performances de palco contribuem em muito para que a apresentação seja de primeira.
A partir daí o set list varia entre novas e antigas, agitadas e leves. Alanis em especial, tem uma presença de palco impressionante (por vezes, esdrúxula), mas que combina com aquela garota que apareceu “quebrando tudo” na metade dos anos 90s.

Você consegue girar em torno de si mesmo por mais de um minuto, sem cair ao final?  Alanis Morissette Consegue.
A cantora parece muito serena em outros momentos, e interage com a platéia dessa mesma maneira. Nada muito intenso.
O público, por sua vez, reage da mesma forma. Em algumas músicas (obviamente, as mais conhecidas) a reação é mais forte, mas em várias outras parece-se ter 5 mil curiosos olhando para o palco.
Os pontos altos devem realmente ser salientados. Em seus maiores sucessos a galera foi ao delírio.
Algumas mudanças nos arranjos e andamentos não foram muito interessantes para aqueles que aguardavam ouvir as músicas exatamente da forma como ouviram por mais de 10 anos no CD player. Foi o que aconteceu com “You Oughta Know” (bem mais lenta do que a original) e “Hand In My Pocket”, que teve a harmonia bastante alterada, causando uma certa estranheza. Nada que comprometesse o show, claro.
“Hand In My Pocket”, “Underneath” e “Everything” são apresentadas em formato acústico. Uma segunda bateria é montada à frente do praticável e os músicos sentam-se bem próximos, criando um outro clima de show.
Os músicos se despedem. Alanis continua elétrica e parte para o backstage saltitando. Ela de fato ainda nos devia alguns sucessos.
A banda retorna para “You Learn”, o ápice do show.
Quando Alanis aparece, vira-se de costas, mostrando a bandeira do Brasil, na qual encontra-se enrolada. Mais um ponto ganho!
Na sequência, “Ironic” e “Thank You”, que fecha a apresentação. Melhor bis não poderia haver. Se houve alguma frieza em certos momentos, o final foi milimetricamente calculado para que esta tour de Alanis Morissette se torne especial e inesquecível.

Por: Murilo Bittencourt

Fotos: Michael Paz

Pepsi OnStage |10 de fevereiro de 2009|

Related posts

4 Comments

  1. gabi

    q showzão…se alguem puder me mandar as fotos do show em porto agradeço…as minhas ja eram…obrigado!

    [Responder]

    Geson Paz Teixeira Responde:

    Oi, eu tenho fotos do show da Alanis, se quiser é só entrar em contato pelo meu e-mail. o show tava demais.

    [Responder]

  2. Sergio Rodrigues.

    O show da Alanis foi o melhor que já fui em minha vida.
    Eletrizante e envolvente Alanis consegue ter a atenção do publico sem pirotecnia e efeitos especiais,algo muito difícil de se ver nos dias de hoje,quando a maiorias dos astros utilizam se disso para ganhar o publico.
    As letras e o poder vocal de Alanis são impressionantes é muita energia em pessoa.
    Como foi citado acima quem consegue rodar em torno de si próprio por mais de um minuto sem cair?
    Alanis Morissette consegue!

    [Responder]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *