Arnaldo Antunes

Dia 02 de abril de 2009 marca o início das apresentações musicais do projeto UNIMÚSICA, promovido pela Faculdade Federal do Rio Grande do Sul, e que este ano tem por objetivo maior “revelar a produção de alguns jovens músicos que têm reinventado a tradição cancionista do Brasil”, sem deixar de fora, para alegria de muitos, nomes como “Arnaldo Antunes e Lenine, que são marcos de uma geração que já se firmou nacionalmente” nas palavras de Ligia Petrucci, coordenadora do projeto. E ficaria ao meu cargo, com muita honra, fazer a matéria sobre o início desta história toda, e felizmente com um artista que, pessoalmente, tenho muita admiração.
Às 19:00h o teatro do salão de atos da UFRGS já se encontrava lotado, mas tamanha era a quantidade de pessoas que ainda estavam do lado de fora tentando entrar, que a produção do show  teve que correr para conseguir acomodar tanta gente, ficando assim, o teatro maravilhosamente lotado.
Passado alguns poucos minutos do horário marcado, sobe ao palco Arnaldo Antunes, vestindo um traje muito peculiar, algo entre um mendigo ou um paciente do São Pedro,  para executar a primeira música da noite, Fim do Dia. Segue com Hotel Fraternité que introduz de forma perfeita a já conhecidíssima Saiba, devidamente acompanhada pela platéia, . O mesmo acontece com Se Tudo Pode Acontecer, ambas já  gravadas também na voz de Adriana Calcanhotto. O primeiro clássico dos Titãs, veio com O Quê, levantando o clima do show, e na seqüência outro clássico, só que desta vez da carreira solo de Arnaldo, Socorro.
Outra das antigas foi Não Vou Me Adaptar, seguida de uma composição inédita, e que vai estar no próximo CD, ainda sem nome divulgado. Passando por Quarto de Dormir, Contato Imediato, esta dos Tribalistas , e Pedido de Casamento. Aqui vale lembrar que, apesar do formato do show trazido a Porto Alegre não contar com bateria, o que em algumas músicas dava para sentir falta, o trio que o acompanha, que é o mesmo da gravação do CD  Ao Vivo Em Estúdio, é muito talentoso e não deixa a peteca cair em nenhum momento do show.
Uma presença interessante no set list foi a inclusão de As Coisas,  composta em parceria com Gilberto Gil, e gravada no disco Tropicália 2 de 1994. Judiaria levantou os presentes que já clamavam por ela desde o início da apresentação, e agradeceram em forma de energia a esta  grande versão para esse antigo clássico de Lupcinio Rodrigues, que se tornou hit na voz de Arnaldo. Uma coisa a salientar, e que é muito raro e gratificante para um artista, é o leque de  músicas que Arnaldo possui,  sejam elas da sua fase “Titã”, Tribalista ou solo. Invariavelmente, uma apresentação sua é recheada de obras que dialogam com diversos tipos e faixa etárias de públicos. Exemplo disso, foi a platéia que compareceu para prestigiá-lo nesta quinta-feira. De uma ecleticidade ímpar.
Voltando ao show, ele continua a todo vapor e com a presença de palco super performática de Arnaldo, que é um espetáculo a parte. Todas as músicas  do set ganham uma certa dramaticidade,de acordo, é claro, com seu respectivo clima, e que tem sua expressão máxima durante a execução de Silêncio. Onde ele desce do palco, senta-se no chão e declama trechos de um poema seu acerca do corpo humano. Momento brilhante! Para finalizar a apresentação, tivemos Luzes, com seu ar sombrio muito bem representado pelas iluminação, que deu o clima certo para este tema. Mas é claro que os presentes não ia deixar Arnaldo se despedir tão cedo, e atendendo aos pedidos do público, volta para o bis. Fechando a noite com a indefectível O Pulso.
Resta a nós parabenizar a equipe de difusão cultural da UFRGS por ter trazido este grande artista para terras gaúchas, em um concerto marcante e de qualidade indiscutível, e ainda por cima de graça. O projeto vai até novembro, e finaliza com Lenine. Aqui vai uma dica: aproveitem

Set List:
FIM DO DIA
HOTEL FRATERNITÉ
SAIBA
SEM VOCÊ
SE TUDO PODE ACONTECER
O QUÊ (TITÃS)
SOCORRO
NÃO VOU ME ADAPTAR (TITÃS)
“MÚSICA INÉDITA”
NUM DIA
AS COISAS
JUDIARIA (LUPCINIO RODRIGUES)
QUARTO DE DORMIR
CONTATO IMEDIATO (TRIBALISTAS)
PEDIDO DE CASAMENTO
O SILÊNCIO
LUZES

BIS:
DEBAIXO D’AGUA
TRIBALISTAS (IDEM)
O PULSO (TITÃS)

Por: Angelo Borba

Fotos: Samuel Nervo

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *