Hibria

Ao chegar no Bar Opinião, por volta das 22hs, me deparo com a grande fila de headbangers em seus trajes negros, vencendo a noite gelada na capital gaúcha. Já era possível ter uma boa noção do que seria o show de lançamento do segundo album do Hibria: “The Skull Collectors”.
A já conhecida dos Porto Alegrenses, “2ª Maluca”, com dose dupla de bebida até a meia-noite, reuniu aproximadamente 500 fãs ansiosos para escutar e ver as novas músicas do Hibria serem executadas ao vivo.
Por volta das 23hs, um vídeo de aproximadamente 10 minutos começa a ser apresentado no telão. Cenas das turnês Asiática e Canadense (vídeos e fotos) são apresentados e se propõem a dividir com os gaúchos um pouco do que foi o trabalho (e os momentos de descontração) que os cinco membros da banda Hibria viveram em um mês de pé na estrada e shows quase que diários.Obviamente, ao fim do vídeo, o telão é levantado e o Hibria está posicionado no palco para o primeiro “punch” da noite e que como não podia deixar de ser, o próprio: Tiger Punch. Em seguida, Millenium Quest, Stare at Yourself e então a primeira parada para Iuri interagir com os fãs presentes.
O show é retomado e energia é a palavra-chave do Hibria. E ela se manteve em altos níveis o tempo inteiro. Marco Panichi se movimenta pelo palco inteiro com seu baixo e também canta todas as músicas, instigando a todos os presentes a fazerem o mesmo. Eduardo Baldo mostra em um enxuto solo de batera que técnica e energia não necessitam de “horas” para sempre mostrados e provados. Os guitarristas Abel Camargo e Diego Kasper, sempre notoriamente concentrados, mostram seu alto entrosamento em várias partes do show. Iuri Sanson mantém o público sempre em suas mãos, cantando, correndo e preenchendo cada pedaço de palco que possa “parecer” vazio.

O set então visita Devoted to your Fear, Reborn from the Ashes e Kingdom to Share. Na música “The Anger Inside”, Iuri convida os presentes a sacarem suas câmeras e filmarem o que quiserem: a banda, a pessoa do lado, a si próprio, a todos os presentes. As gravações que forem enviadas para a banda, poderão fazer parte do próximo clipe. Antes do bis, Living under Ice e a faixa título do novo cd: The Skull Collectors.

Visualmente falando, destaque para o pano de fundo e os banners laterais que formam a nova estrutura do palco do Hibria. Eles são mais visíveis que os anteriores utilizados nos shows do Defying the Rules e são complemento fundamental ao show. Os banners laterais delimitam muito bem o nicho da bateria, dando maior visibilidade ao trabalho de Eduardo Baldo.
O bis é anunciado aos acordes da introdução clássica utilizada nos shows do Defying the Rules, seguida de Steel Lord on Wheels e Sea of Revenge. A despedida convida o público a desafiar as regras com “Defying the Rules”. Porém, o show acaba no palco apenas, a banda não fica muito tempo no camarim e como costuma sempre fazer, se junta ao público para conversar, tirar fotos e dar autógrafos.
A noite gelada de segunda-feira, 13 de julho de 2009, Dia Mundial do Rock, chega ao fim. Headbangers de alma lavada vão para suas casas com a certeza de que o Heavy Metal gaúcho foi muito bem representado na Asia e no Canadá.

Por: Karina Kohl

Fotos: Karina Kohl

Related posts

3 Comments

  1. Fábio

    Certamente uma das maiores bandas aqui de Poa. Levantam a bandeira do heavimetal sem igual. Em 2010 tocaram novamente aqui no sul, e certamente estarei lá, ou no opinião, ou no gasometro. Contagem regressiva!!!

    [Responder]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *