Velhas Virgens

Noite de domingo em Porto Alegre e a cidade se prepara para receber a maior banda independente do Brasil, o Velhas Virgens. Há 23 anos fazendo seu Rock and Roll sem vergonha, pudor ou papas na língua, a banda arrebanhou fãs fiéis ao longo de sua trajetória e vieram ao Sul do Brasil com um show especial.
A abertura contou com a banda gaúcha de Rock and Roll “Eu, o Zé e os Cara”. Com um show curto de 30 minutos a banda mostrou suas músicas próprias (entre elas, “Faca na Bota”) e também alguns covers (“Woman”, do Wolfmother, “Cold Gin” do Kiss e um medley de “TNT” e “Highway to Hell”, do AC/DC). Foi bem recebida pelos presentes. Me reservarei aqui o direito de não avaliar a banda por motivos éticos, pois este redator é vocalista e baixista da EZC.
Após um breve intervalo a atração de fundo sobe ao palco com “Cubanajarra”, faixa que dá nome ao último álbum da banda. Em seguida, “Rafaela, Eu Amo a Sua Mãe”, na qual emendaram “Roadhouse Blues”, dos Doors. Como já é tradicional, Paulão estoura latas de cerveja na testa.
A surpresa da noite foi “Essa Tal de Tequila”, que não esteve no set dos últimos shows em Porto Alegre. Divertidíssima, levantou a galera.Os tradicionais figurinos de Paulão também não deixaram a desejar: O Pirata (Estilo Capitão Jack Sparrow) em “Cubanajarra”, o Padre de “Se Deus Não Quisesse” (com pérolas de sabedoria do tipo “Se Deus não quisesse que a gente bebesse não tinha inventado a mulher, o chifre e a solidão”) e o Travesti de “Um Homem Lindo” marcaram presença.
Foi um show especial do Velhas por vários motivos.
Primeiramente, foi o primeiro show da banda liberado para maiores de 16 anos em Porto Alegre. Além disso, foi a estréia de Juliana, nova vocalista da banda que substituiu Lili. Ótima vocalista, representou bem em “A Mulher do Diabo”, “Blues do Velcro” e, obviamente, o ponto mais alto de qualquer show do Velhas Virgens: “Abre Essas Pernas”, que continua sendo o maior hit dos paulistas.
Outro momento especial foi o “Parabéns a Você” para o vocalista Paulão, que fez aniversário dia 12. Recebeu sincera homenagem de todos ali presentes.
Por fim, uma homenagem a Raul Seixas, lembrando os 20 anos sem o homem que fez o Rock and Roll falar português. Com Paulão vestido de mago, a banda mandou alguns clássicos como “Abre-te Sésamo” e “Aluga-se”. O encerramento contou ainda com “A Minhoca Que Acendia o Rabo” e “Beijos de Corpo”, deixando de fora apenas a previsível “Minha Vida é o Rock and Roll”.
Foram quase duas horas de Rock and Roll com muita irreverência, diversão e, claro, muita cerveja. Nada melhor para começar a semana. Porto Alegre agradece.

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Fabiana Menine

Related posts

2 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *