Aos 82 anos Chuck Berry volta a Porto Alegre

Chuck BerryEm uma noite chuvosa de quinta-feira os fãs gaúchos do bom e velho Rock and Roll não se intimidaram e lotaram o Teatro do Bourbon Country para ver aquele que é considerado o pai do Rock: Chuck Berry.

Acompanhado da mesma banda que veio a Porto Alegre ano passado, o jovem senhor de 82 anos subiu ao palco pontualmente as 21h diante de uma platéia que clamava por seu nome.

O show começa com uma bela trinca de clássicos: “Roll Over Bethoveen“, “School Days” e “Sweet Little Sixteen”, devidamente cantadas por seus fãs de todas as idades. “Chuck! Chuck! Chuck!”, grita a platéia diante da lenda. “Love you! Love you! Love you!”, responde Chuck com gratidão.
Os clássicos não param: “Memphis, Tennessee“, “My Ding-a-Ling” e “Nadine” e, obviamente, “Johnny B. Goode“, ponto alto do show. Apesar de o setlist ter sido basicamente o mesmo do show do ano passado, bastante curto (apenas uma hora de show), a noite de quinta em muito se diferenciou daquele distante 21 de junho de 2008. Primeiramente, o local, bem menor e com acústica imensamente superior, proporcionou um clima bem mais condizente com um show de Rock. O formato “pista” também contribuiu para isso. No show do ano passado, havia uma galeria de cadeiras na frente da pista. Artista e público puderam interagir de forma bem mais intensa desta vez.
Mas a maior diferença foi o próprio Chuck Berry. Se no ano passado algumas pessoas o acharam cansado ou sem muito ânimo, desta vez Chuck se mostrou feliz no palco. Seu sorriso largo era sincero, especialmente na interação com seu filho Charles Berry Jr., guitarrista que o acompanha.
Agradeceu ao presentes, citou o Brasil em “Sweet Little Sixteen“, cantou uma música em espanhol e foi ovacionado ao final da canção quando, timidamente, disse “Yo no sei hablar español“. Um momento simpático onde todos riram.

É verdade que o desempenho de Chuck Berry na guitarra deixa muito a desejar, mas até nisso ele foi melhor do que na última apresentação em Porto Alegre. Os erros, seja nos solos, seja nos acordes, existiram e foram frequentes, a ponto de causar uma certa tensão na banda que o acompanha. É possível notar que Chuck sabe tocar, mas não consegue. O peso da idade se abate sobre ele. Quem esperava uma performance do grande guitarrista que Berry sempre foi, pode ter se decepcionado. Mas ver a personificação do Rock and Roll aos 82 anos em Porto Alegre mandando ver em uma hora do mais puro Rock and Roll, certamente compensou a ineficiência técnica.

O encerramento, tal como no ano passado, foi com “Reeling and Rocking“, onde Chuck convida mulheres a subirem no palco. Desta vez, foram apenas oito, ao contrário das várias dúzias do show no Pepsi On Stage. As meninas, das mais variadas idades, tiraram fotos, dançaram, interagiram e uma delas até gritou no microfone, mas, surpreendentemente, nenhuma delas tocou em Chuck Berry. Ainda com a banda tocando, Chuck se despede e deixa o palco, tocando guitarra.

Não houve bis.

Certa vez John Lennon disse que se Rock tivesse outro nome, seria Chuck Berry. John Lennon não mente.

Aos 82 anos o jovem senhor ainda faz o Rock rolar.

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Fabiana Menine


Related posts

4 Comments

  1. Rafael Cony

    Bacana a resenha!
    Fiz um texto também, e publiquei no meu blog ( http://www.rafaelcony.blogspot.com ) e no site da rádio Putzgrila (www.radioputzgrila.com.br ), uma rádio de rock pela web, aqui de Porto Alegre (a propósito, estamos abertos à parcerias… hehee).
    Meu texto fala sobre minha experiência de ter encontrado Mr. Berry no aeroporto, apertado sua mão, ganhado um autógrafo em meu braço (que virou uma tattoo) e agradecido O Cara por ter criado o rock and roll!
    Grande abraço!
    Rafael Cony
    http://www.radioputzgrila.com.br
    http://www.socreedence.com.br
    http://www.rafaelcony.blogspot.com

    [Responder]

  2. Pedro Augusto

    Parabéns pelo texto Marcel, só a presença dele já vale o ingresso..não é pouca coisa ter mais de 50 anos de carreira no rock and roll. Felizmente ele se cuida, e não faz como um de seu discípulo: Keitch Richards. Muito bom o site de vocês, sem explicação.

    [Responder]

  3. Denise

    Texto muito bom, cara!
    Eu fui nesse show, fiquei na grade e vi de perto o rei do rock! Eu não conseguia parar de sorrir, o chuck berry é muito caristmático! Adorei.

    [Responder]

  4. Pingback: Jerry Lee Lewis mostra que ainda é um dos maiores ícones do rock | POA SHOW

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *