Little Joy começa novamente uma turnê por Porto Alegre

Little JoyO primeiro show da noite nessa quinta-feira, 13 de agosto, no bar Opinião, foi o do músico Adam Green, ex-integrante da banda The Moldy Peaches. Uma apresentação breve, de nem trinta minutos, em que o músico expôs seus trejeitos excêntricos e sua voz grave. O segundo show da noite, com a banda The Dead Trees, começou cedo (23:30), mas mesmo com uma sonoridade interessante, e o próprio baixista do Little Joy em sua formação, não distraíram toda ansiedade e euforia daqueles que esperavam pela entrada da Little Joy no palco.

Entrada que aconteceu a meia noite e meia, sobre ávidos aplausos, Rodrigo Amarante, Fabrízio Moretti e Binki Shapiro, junto com seus companheiros de estrada se posicionaram no palco. Quem cumprimenta o público primeiro é Fabrízio Moretti. Ele comenta sobre a banda estar começando novamente uma turnê em Porto Alegre, e leva todos à loucura quando diz: “a gente tá começando aqui de novo porque gostamos de começar bem”!

Realmente Fabrízio estava certo, quanto ao público, foi um começo e tanto, já com relação à infra-estrutura, não pode-se dizer o mesmo. Logo na primeira música a banda teve que esperar enquanto o microfone de Binki era consertado, e quando tudo parecia resolvido, foi a vez do microfone do Fabrízio parar de funcionar. Problemas a parte, Rodrigo Amarante puxa a primeira música “The Next Time Around”, cantada do início ao fim por todos que estavam presentes. Dão sequência as músicas “How To Hang A Warhol” e “Unattainable”.

Rodrigo Amarante larga a guitarra e vai para o pequeno teclado e, depois de mais alguns problemas com os microfones, dá início a “Shouder To Shoulder”, uma música que se torna belíssima ao vivo. Amarante chega a brincar com os problemas técnicos, afirmando que a casa estava caindo. Mesmo assim segue animado e fala sobre as novas composições. Tendo uma delas sido terminada na mesma data do show, em Porto Alegre. A apresentação segue com duas delas, “Frankenstyle” e “Sambabylon”, esta cantada por Binki.

Após essas duas composições novas, os músicos voltam ao repertório já conhecido com “With Strangers” e “Keep Me In Mind”, outra que foi muito aclamada por todos. Nesse momento Binki anuncia que farão um cover da banda nova-iorquina The Mamas and the Papas, a música será Midnight Voyage”. Um momento importante do show, em que Binki pode mostrar um pouco mais do seu talento.

A décima primeira canção também é uma das novas, essa é a composição que tanto Amarante como Morretti afirmaram ter finalizado a letra na tarde de quinta-feira, aqui na cidade de Porto Alegre. Letra que o POASHOW traz com exclusividade ao final da resenha. A música chama-se “I Agree”.

Intercalando entre músicas conhecidas e composições inéditas, é a vez de “No One’s Better Sake”, que fez o pessoal se embalar de um lado para o outro, mesmo com o pouco espaço, pois a casa estava lotada. A próxima a ser executada, conforme foi explicada por Binki, trata-se de uma canção que Fabrízio havia composto já faz um tempo, mas que eles nunca tocaram. Ela chama-se “All The Hours”, e foi a única música em que Rodrigo Amarante cantou sem tocar instrumento algum.

Little JoyChegando ao final da apresentação, ainda temos a música “Brand New Start”, que como o nome sugere, é cantada pelo público como se fosse a “primeiríssima” do show. Todos saem do palco e o público pede por um bis, com a mesma intensidade que pede por Rodrigo Amarante.

Ele volta e é ovacionado de tal forma que se emociona. Toca a música “Evaporar”, única composição em português da banda, e a cada pausa na letra recebe uma nova salva de palmas. Definitivamente o momento mais emocionante do show, tanto para os músicos que estavam lá atrás do palco, como para o público, e principalmente para o próprio Amarante.

O bis termina com “Don’t What Me Dance”, seguida de outra surpresa: Amarante toca a música “Procissão”, com todo seu carisma na interpretação da letra e um arranjo muito interessante para guitarra elétrica.

Enfim, um show cheio de surpresas, recebido de forma muito calorosa pelos fãs, e feito com muito carinho pelos músicos. No ritmo que os rapazes andam podemos manter nossas expectativas por um novo álbum para o início do próximo semestre!

I AGREE

What a shame to hush
The ringing of interest
If you’re show them
Betraying the skirt
All the casual signs
Of a thunderous charm
Would be echos and clouds
Without feet in the dirt
In my mind / I Agree
Oh whatever you do
Just make it fast
And any subtle thing
To make sure it will last
What a myth to say
You’ll brush off your instincts
To commit yourself to
Purging the earth
You’re the product of always
A grain in the wood
There’s no reason in asking
On weather you should
In your mind
You’ll Agree

Por: Samuel Nervo

Fotos: Paulo Capiotti

Related posts

1 Comment

  1. Tuanny Borba de Freitas

    Mas olha só, poashow lançando novidades em primeira mão!(I agree).haha.
    A resenha sintetizou bem o show, que tava realmente bom, apesar dos probleminhas técnicos. Além do fato, citado inclusive pelo Amarante que disse “a gente até ficou preocupado, com essa coisa de gripe A e tal…” fazendo referência ao ambiente fechado e aglomerado mas que não foi obstáculo pro pessoal deixar um pouco de lado a preocupação e curtir os caras, que prometem ter um belo futuro.
    Quando o Amarante e o Moretti frizaram a questão de que eles gostam de tocar em porto alegre, eles pareceram muito verdadeiros, tenho a impressão de que de vez enquando eles vão “dar as caras” por aqui, devido à receptividade (que não foge do esperado, se tratando dos músicos que eles são).
    Muito boa a matéria Samuel! =)
    Sds!

    [Responder]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *