Pitty faz pré-estréia do seu novo show “Chiaroscuro”

pitty-1

No último domingo, dia 04 de Outubro, a capital dos gaúchos recebe novamente a cantora baiana Pitty, fazendo uma espécie de pré-estréia do seu novo show, “Chiaroscuro”. O Pepsi On Stage Tour evento, promovido pelo Kzuca, Pepsi e Opinião Produtora, contou com uma série de singularidades e características nada usuais.Primeiramente, surpreendeu o horário da apresentação: 18h. Perfeito, se a intenção era promover um horário civilizado para que os pais levassem seus jovens filhos para a apresentação. No entanto, após a abertura no horário previsto, o público foi exposto a passagem de som. Foram duas horas. Testes e mais testes de bateria, baixo, guitarra, vocal alem, é claro, de alguns palavrões dos roadies. Causaram irritação, cansaço e gritos de “Falta de respeito!!!”.

Ainda havia uma banda de abertura. Os garotos catarinenses do Jack Off subiram ao palco as 19h55, após uma breve apresentação de Fredi “Chernobyl” Endres, DJ e guitarrista da banda Comunidade Nin-Jitsu, que pediu respeito à banda que foi escolhida no concurso Pepsi Música 2009.

Os garotos, bastante jovens, demonstraram talento executando um Rock and Roll de excelentes influências e músicas próprias bem construídas. No entanto, as condições adversas e a falta de experiência falaram mais alto. Bastante nervosos (talvez em função dos atrasos e de enfrentarem um público já um pouco hostil) a banda se perdeu em alguns momentos, principalmente na execução do clássico “Rock and Roll All Nite”, do Kiss. Trata-se de uma galera talentosa, mas que ainda não teve tempo de evoluir.

Mais quarenta minutos de troca de palco e acertos no som e as 21h05 sobe ao palco a atração de fundo: Pitty. Ovacionada por sua presença, mas nem tanto pelo som que apresentou. O início com “8 ou 80”, música do novo álbum, foi um equivoco, um início frio depois de três horas de espera. A explosão esperada de um show da cantora só veio na segunda música, “Memórias”, do segundo álbum, “Anacrônico”. Esta, sim, botou o Pepsi On Stage abaixo.

Essa dualidade entre as músicas do novo disco, ainda desconhecidas do grande público, e seus grandes sucessos já gravados no inconsciente coletivo do público mais jovem se estendeu por toda a apresentação, exceto por conta de “Me Adora”, sucesso na MTV e nas rádios de todo o país.

“A gente ta muito feliz de tocar aqui de novo”, comentou a cantora. “Esse não é exatamente ainda o show do ‘Chiaroscuro’, mas a gente vai tocar um monte de músicas desse disco hoje. Agora nós vamos tocar duas músicas do primeiro disco”, anunciou antes de “Admirável Chip Novo” e “Semana Que Vem”. Naquele momento ficou comprovado que o primeiro álbum ainda é o responsável pelo sucesso da banda e pelos pontos mais altos do show.

Outro destaque foi um convidado muito especial. “A gente tem um convidado hoje… vocês conhecem o Tangos & Tragédias?” e chamou ao palco Hique Gomez para “Água Contida”, faixa na qual o gaúcho gravou o violino. Sob os gritos de “Ah, Eu Sou Gaúcho”, a banda executa a canção de forma impecável e belíssima. Hique se entrosou perfeitamente, bastante animado e pulando no palco. Parecia fazer parte da banda há bastante tempo. “Só Porto Alegre vai ter isso hein, gente?”, sorriu a cantora.

Após as baladas “Na Sua Estante” e “Equalize”, cantadas em coro do início ao fim, o encerramento, com apenas 1h20 de show, contou com “Máscara” e “Pulsos”. Não houve retorno para um bis. Muita gente não lamentou, em função do cansaço. Eram 22h20.

Mas o grande destaque do show foi, infelizmente, a qualidade do som. As mais de 2h de passagem de som desrespeitosa em frente ao público não foram suficientes para que fosse feito um bom trabalho. O teto metálico do local, de fato, não é o mais apropriado nesse quesito, mas o que aconteceu no último domingo extrapolou todos os limites. Foi um dos piores sons que esta equipe já teve a oportunidade de presenciar. Incompetência e falta de respeito são termos muito suaves para tentar definir em palavras um resultado tão ruim. Não era possível discernir os instrumentos, tampouco o vocal. As letras das músicas do novo álbum eram incompreensíveis. Tudo por causa de quesitos técnicos, afinal, a banda fez a sua parte. E muito bem.

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Fabiana Menine

Related posts

5 Comments

  1. Pingback: Pitty | POA SHOW

  2. Fernando Thys

    Um esclarecimento extra: a gurizada da JACK OFF era para ter passado o som às 16:00h, não às 19:00h e tanto. Ainda por cima na frente do público, que já estava bastante irritado.
    Pode ter certeza que isso pesou bastante. Apesar da pouca idade, entre 14 e 16 anos, ainda tiveram presença de espírito para fazer uma apresentação decente.
    Quer ver a uma excelente performance da Jack Off ? Acesse pelo YOUTUBE o video da apresentação no Bar OPINIÃO, no final do PEPSI MÚSICA.

    [Responder]

  3. Pat

    Eu fui e posso dizer que apesar da banda ter feito a sua parte, nada justifica a péssima qualidade do som e o atraso de 3 horas. Foi hilário ver o público gritando “COCA-COLA” dentro do Pepsi 🙂
    E parabéns a banda JACK OFF que fez uma bela apresentação, apesar do público não estar muito receptivo depois de todo esse atraso. Não conhecia a banda, mas curti bastante.

    [Responder]

  4. Matheus Castilho

    Eu fui no show dela que teve aqui em floripa! Dêem uma olhada no site kzuka.com.br, na parte de santa catarina, nas fotos do show da pitty! eu sou capa do album junto com meu amigo HOEAIUHEA ;D

    [Responder]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *