Arturo Sandoval – virtuosismo, feeling e improviso

Porto Alegre teve a satisfação de assistir, no último domingo, no Teatro do Bourbon Country, ao excelente jazzista cubano Arturo Sandoval e ao quinteto formado pelos exímios músicos Manuel Valera (piano), Dewayne Pate (baixo), Philbert Armenteros (percussão) e Charles McNeill (saxofone).

Vencedor de 4 Grammys, 6 Billboard Awards e 1 Emmy Award, Arturo, que até certo ponto da carreira só podia apresentar-se fora de Cuba se autorizado por Fidel Castro, radicou-se nos Estados Unidos há cerca de 20 anos, onde iniciou parceria com seu mentor Dizzy Gillespie.

Arturo impressionou o público arrancando notas agudas e gravíssimas de seu trompete em um único fôlego, além de demonstrar seu já conhecido domínio do piano e do flugelhorn. O multi-instrumentista, que passou o show inteiro sem beber um só gole d’água, brincou nos teclados, na percussão e nos vocais, onde mostrou ser um brilhante scat singer.

O repertório foi o que se pode chamar de “best of” de sua carreira, com predominância do jazz latino e bop, perpassando baladas, releituras e passagens de clássicos (como Smoke Gets in Your Eyes O Fantasma da Ópera) e músicas de gênero mais pulsante, como a rumba. Ao final de cada número notava-se a entusiasmada resposta do público que compareceu em ótimo e surpreendente número ao espetáculo que teve noventa minutos de duração.

Arturo Sandoval é um gigante que traduz sua genialidade em um jazz forte, vibrante e nada tedioso ao se divertir nos registros mais altos de seu trompete.

Por: Clarissa Lehmen

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *