Entrevista: Matanza

O PoaShow conversou brevemente com Jimmy London, vocalista do Matanza. Confira como foi:

PoaShow – Vocês estão encerrando a tour do MTV ao Vivo, como foi a Tour para vocês?

Jimmy – Como em toda turnê, a gente acabou quase morrendo. A gente gosta de fazer as coisas quase morrendo. A gente vai acabar quase morrendo. Mas a gente ta se divertindo. A gente sempre se diverte. Até morrendo a gente se diverte. Morrer deve ser divertido então.

Poa Show – Com o encerramento da turnê, vocês já estão preparando material para um novo disco?

Jimmy – Estamos. Antes de morrer a gente vai tentar fazer um disco novo… (risos) Estou fazendo lá com o Donida, como sempre foi. Ele agora vai ficar nessa só de compor, não quer mais viajar, está cansado… Estamos fazendo o disco novo aí… início, meio do ano que vem já deve ter disco novo na área.

Poa Show – O Donida vem sendo freqüentemente substituído pelo Maurício Nogueira. Por que isso está acontecendo e como foi essa decisão?

Jimmy – Foi bem tranqüilo, na real. O cara está cansado de viajar, ta velho já, ele é mais velho que eu, deve ter uns quatro anos a mais que eu já. E ele nunca foi um maluco muito amarradão em viajar mesmo não… Ele sempre gostou muito da parada, gostou muito da música, gostou muito da arte pela arte mesmo de compor e fazer o lance, mas nunca foi um cara que gostou muito do dia-a-dia de estrada, de viajar, de ficar de um lado pro outro… É uma coisa meio cansativa mesmo, se você não tiver muito prazer em fazer o lance, aí é chato. Aí ficamos com os dois assim, o Maurício faz todos os shows e o Donida compõe como sempre compôs, meu brother, normalmente. Só realmente tirar as coisas que são sofrimento porque não precisa né? Acho que não precisa ter as paradas que são sofrimento pra ninguém. Eu continuo me amarrando ainda em fazer os discos e em viajar e ele está amarradão só fazendo os discos.

Poa Show – Me corrija se eu estiver errado então: O Donida continua sendo um membro do Matanza…

Jimmy – Totalmente.

Poa Show – Ele é o guitarrista que grava os discos e faz as composições…

Jimmy –Faz as composições, grava os discos, e o Maurício faz os shows.

Poa Show – E o Maurício é um…

Jimmy – É um “sub-eterno”. Um “sub-direto”. Mas ele também está dentro, agora a banda agora são cinco.

Poa Show – Mas ele não interfere no trabalho de composição?

Jimmy – Na verdade, na verdade mesmo o trabalho de composição sempre foi muito do Donida sozinho. Então não faz muita diferença o Maurício ou mais trinta… (risos) Sempre foi do maluco sozinho mesmo… Eu que vou lá com ele e dou uns “h”, umas idéias de letra… a gente só junta mesmo a banda pra tocar depois quanto as coisas estão bem prontas, já compôs, já fez a porra toda…

Poa Show – E a produção continua com o Rafael Ramos?

Jimmy – Rafa, claro…Nosso brother também, mais um Matanza. Tudo que a gente fez na vida a gente fez com ele.

Poa Show – O Matanza sempre teve uma relação muito próxima com a MTV, no entanto nunca conseguiu uma inserção em rádio. Como a banda encara isso e como analisa as razões disso?

Jimmy – Quando a banda começou a gente ficou noiado, ficou preocupado com essa merda aí de rádio… como é que vai ser… e nego não quis tocar mesmo, tinha palavrão, achava uma merda…. não quer tocar? Então não toca! A gente decidiu então baixar a cabeça, seguir em frente, cagar pra isso… hoje em dia também a gente está aqui fazendo nosso show, maior galera amarradona… tocou? Legal. Não tocou? Foda-se. Não faz a menor diferença pra gente, a gente quer mais é que se foda. A gente pode viver muito melhor porque rolou exatamente sendo direto. “Pô, mas é cheio de palavrão, não dá pra fazer uma musiquinha pra gente tocar no rádio?” Não, não dá não! É essa merda que a gente faz mesmo. Pô, maneiro. Prova de que se trabalhar que nem um filha da puta pra caralho “a vera” que nem a gente fez, dá pra trampar sem essa merda aí. Uma pena que não tenha rádio maneira pra tocar. Aqui tem né?

Poa Show – Tem.

Jimmy – Aqui é o único lugar que eu sei que toca, tocou na rádio do Pancho (N. do R: Ipanema FM), ele me falou que lá toca direto “Estamos Todos Bêbados”, Resto do Brasil, velho? Não tem! Não tem e não adianta.

Poa Show – O que vocês fazem quando não estão envolvidos com o Matanza?

Jimmy – A gente passa muito tempo envolvido com o Matanza. A gente viaja geralmente de quinta a segunda então sobra ali terça e quarta pra dar um alô pra mulher, meio que pagar as coisas em casa, consertar a goteira em casa, realmente é uma situação muito jogo rápido… O outro ali tem filho, outro ali dá aula de bateria, eu produzo uns discos, faço umas coisas de TV mas é tudo muito chutado, porque mesmo o tempo que a gente não está efetivamente viajando ou tocando com o Matanza, eu estou fazendo alguma coisa de TV, ou compondo, ou fazendo alguma coisa do próprio Matanza, então… a ralação é constante.

Poa Show – Como foram aquelas histórias polêmicas do YouTube*, referente a um jogo do RockGol, aquele atrito com o NX Zero, e ao Programa RockGol da MTV, a briga com os apresentadores?

Jimmy – Eu estava jogando bola ali, igualzinho a qualquer um que joga bola. Porra, qualquer um que já jogou bola sabe que chega uma situação que o cara fica de saco cheio e manda tomar no cu mesmo, principalmente quando é uma pessoa que… você já não simpatiza muito. No programa não, o programa foi de sacanagem, fez brincando, porque um cara lá tinha faltado e a gente combinou de fazer a merda e fazer bagunça mesmo. Os caras disseram “A gente está aí com um bloco, o jogador faltou, vamos sair na porrada? Demorou.”

Poa Show – Você costuma acompanhar a cena Rock no Brasil? O que te chama a atenção positiva e negativamente?

Jimmy – Acho que o positivo mesmo são os lugares que a gente vai descobrindo. Ontem mesmo a gente fez Sapiranga, outro dia a gente fez Joaçaba, uns picos muito pequenos, umas cidades bem pequenas mas que a gente vai e tem um bar de Rock, tem um maluco que tem a disposição de fazer uma situação maneira, o cara entende o que está acontecendo ali, o público vai e sabe o que está acontecendo ali. É uma coisa bem maneira, a gente tem umas surpresas. Chega num lugar na casa do caralho e a parada é grande, é maneira, tem um cara que se preocupa com o som. Dá pra ver que o Rock é que nem barata mesmo, não morra. A merda… é que de tempos em tempos nego fica nessa situação aí de curtir outras coisas… Mas é muita nóia, muita burrice também… “Ah, o cara gosta de pagode.” Gosta, foda-se, problema dele. É fazer o nosso e foda-se todo mundo.

Poa Show – Em uma entrevista na MTV você declarou que o Rock é cíclico e está no ponto mais baixo. Não houve uma piora ou você de decepcionou com a teoria?

Jimmy – Cara, não… é muito raro, de vez em quando vem uns malucos que eu acho que realmente fazem a diferença. O Jack White, do White Stripes, esse maluco faz a diferença. Tira um som do caralho, faz um som do caralho. Queens of the Stone Age também são maneiros, representam um Rock maneiro. Mas de resto assim, banda do caralho, mundial… não acho do caralho não.

Poa Show – Acompanhou o Them Crooked Vultures?

Jimmy – Pois é… muito legal. Uma coisa que eu gostei pra caralho também que já tem um tempinho é outra parada do Dave Grohl, o ProBot. Acho que o Dave Grohl na verdade é que é um maluco muito maneiro. Não vou muito com os cornos dele mas, porra, tenho que admitir. Não gosto do Foo Fighters mas tem várias qualidades. Nirvana, achava do caralho. ProBot é do caralho, as coisas que ele faz são bem legais. Toca bateria pra caralho… esse cara tem alguma coisa aí… Mas não dá pra ficar reclamando não… O Motorhead ta aí, AC/DC ta aí… enquanto estiverem aí não dá pra dizer que está ruim.

Poa Show – Uma mensagem para os fãs porto-alegrenses?

Jimmy – Ô bando de filha da puta. Vamos tirar essa bunda gorda de casa e se divertir.

Clique aqui e leia o review do show do Matanza em Porto Alegre


*Jimmy x Di do NX Zero no ROCK GOL

*Jimmy X Marco Bianchi

Publicações Relacionadas

6 Comentários

  1. Pingback: Matanza volta a Porto Alegre | POA SHOW

  2. Pingback: Tweets that mention Entrevista: Matanza | POA SHOW -- Topsy.com

  3. Pingback: uberVU - social comments

  4. Brayan The Punker

    uahuahuaha o Jimmy é foda … uhauahuahuaha

    “Jimmy – Ô bando de filha da puta. Vamos tirar essa bunda gorda de casa e se divertir.” uahauhauhaua eu ri :D

    [Responder]

  5. FABIO CONNOR

    Jimmy, vc falou de caras que fazem a diferença.
    Brother, vc não falou da sua banda. O Matanza faz a diferença!
    É isso, ae…go on, until die!

    [Responder]

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *