Entrevista: Distraught

 

Foto: Karina Kohl

 

 

Com 20 anos de carreira e muitos shows na bagagem a banda gaúcha de Thrash Metal Distraught foi escolhida para abrir o show do Megadeth que acontece dia 26 de abril as 22h no Pepsi OnStage. O vocalista André Meyer concedeu entrevista exclusiva ao Poa Show falando sobre a carreira da banda além, é claro, desse momento tão importante.

POA Show – A banda divulga atualmente seu quarto álbum, "Unnatural Display of Art". O que ele traz de diferente com relação aos trabalhos anteriores?

André Meyer – No "Unnatural Display of Art" conseguimos atingir um ótimo nível de gravação. A arte gráfica ficou excelente também, isso tudo, somado ao nosso amadurecimento musical diferenciou bastante em relação aos álbuns anteriores.

 

POA Show – O disco foi lançado no Brasil e no Japão. Como surgiram os selos? Há expectativa de lançamento em outros países?

André Meyer – No Brasil foi lançado em maio de 2009 e no Japão em setembro de 2009. A Voice Music aqui do Brasil já estava interessada em lançar esse CD. O Silvio Golfeti (Voice) já conhecia a Distraught. No Japão mandamos uma cópia através do Diego (Hibria) para entregar para os caras da Spiritual Beast. Eles gostaram bastante e assinamos com eles o que já rendeu até uma entrevista na Burnn. Em outros países recebemos algumas propostas, mas nada do nosso interesse ainda.

POA Show – Como foi o processo da troca de baterista?

André Meyer – Éverson se mantém afastado da Distraught desde novembro do ano passado. Chamamos então Dionatan Santos que é um músico competente para tocar nossas músicas.

 

POA Show – Como surgiu a oportunidade de abrir pro Megadeth?

André Meyer – Entramos em contato com a produtora local, eles aprovaram, depois veio a aprovação da produtora que está trazendo o Megadeth pro Brasil. Agora é só esperar o dia do show.

 

POA Show – Trata-se do show mais importante da carreira da Distraught?

André Meyer – Sem sombra de dúvidas. Megadeth é uma grande banda e tudo isso já está trazendo muitas coisas positivas pra nós.

 

POA Show – Como a banda está se preparando para esse show? Está  sendo preparado algo especial?

André Meyer – Muito ensaio. Pelo fato de sermos a banda de abertura, não teremos muito tempo, mas posso afirmar que vamos aquecer a galera pro Megadeth.

 

POA Show – Como você avalia a cena Metal no Brasil hoje?

André Meyer – Cresce cada vez mais. Em lugares como norte e nordeste do Brasil é muito forte e é claro São Paulo também. Nós vivemos uma época de muita informação, as coisas são mais rápidas do que quando eu tinha meus 13 anos e comecei a escutar Heavy Metal. Naquela época eram grupinhos pequenos que tentavam conhecer as bandas e era tudo mais difícil.

 

POA Show – E em Porto Alegre?

André Meyer – Porto Alegre sempre foi uma opção de grandes eventos por parte das produtoras devido ao bom público, isso já me parece importante para o crescimento da cena gaúcha.

 

POA Show – Há controvérsias sobre que nome dar ao estilo musical da Distraught. Como você definiria o som da banda?

André Meyer – Não nos preocupamos muito com isso, claro que temos influencias de algumas bandas de Thrash Metal que sempre escutamos, por isso nos identificamos com o estilo, mas escutamos varias outras bandas também.

 

POA Show – Deixe um recado para os fãs gaúchos, chamando a galera para essa grande noite.

André Meyer – Em primeiro lugar gostaria de agradecer a todos que nos apóiam ao longo desses 20 anos que estamos completando, sem vocês nada disso estaria acontecendo. Esperamos todos vocês no dia 26 de abril para tremer o Pepsi On Stage.

Publicações Relacionadas

6 Comentários

  1. Pingback: Tweets that mention Entrevista: Distraught | POA SHOW -- Topsy.com

  2. Fábio Mariani

    É realmente uma pena ter que aturar bandas de abertura, ainda mais daquelas que não gostamos. Isso não quer dizer que não respeito o trabalho do Distraught…somente estou indigando com este tipo de situação.

    [Responder]

  3. Chops

    É realmente uma pena ter que aturar comentários inuteis, ainda mais daqueles que não sabem de merda nenhuma sobre O TEMPO que uma banda leva para crescer.

    A Distraught vai abrir o show do Megadeth com honras!! e vou estar ali na frente MEGA feliz de ver esses caras no palco que merecem, são 20 anos de estrada, muito mais que a idade de alguns retardados que não sabem de NADA do metal e se acham no direto de falar MERDA sobre as bandas.

    Grandes bibas da Distraught, que vocês tenham um excelente show, saibam que tem gente muito feliz por ver vocês ai onde vocês estão.

    Abração aee, incluve para o Everson, tomara que volte logo.

    Rafael Chops (Arena Age)

    [Responder]

  4. Fábio Mariani

    Prineiro lugar sr. Rafael, você não me conhece e não sabe respeitar opiniões. Típico de pessoas bitoladas do “metal”. Só para tua informação são mais de 25 anos que escuto e acompanho esse estilo de música. Mas me parece que não sabes ler. Afirmei que não desmereço o trabalho da banda Distarught. Somente acho que sem banda de abertura o Megadeth poderia tocar mais músicas e, convenhamos eu paguei para assistí-los e não ao Distraught. Observe o que ocorreu em São Paulo onde não houve banda de abertura o Megadeth tocou 5 músicas a mais. Portanto, essa é minha opinião. Se não concorda, tudo bem, mas não precisa ser estúpido ao colocar a tua opinião. É por isso que o heavy metal tem um sentido pejorativo diante da mídia, justamente por pessoas como o sr. que não sabe dialogar e respeitar a opinião alheia.

    [Responder]

  5. juliano martins

    1° lugar é lei ter uma banda de abertura pra shows de bandas internacionais, ainda bem, quem não acha isso bom e não quer dar chances pra outras bandas não devia escutar metal ou acha que sepultura é o que é sem ter feitos inúmeras aberturas pra bandas grandes em início de carreira???
    2° O megadeth faz o show o tempo que quiser, se quisessem tocar 4hs poderiam ter tocado.

    acho que só isso basta ou quer mais???

    [Responder]

  6. Fábio Mariani

    Juliano
    1º) Não é porque é Lei que há a necessidade de aturar uma banda que provou no palco ter a capacidade de compor apenas uma música. Sim! Apenas uma! Pois do início ao fim da apresentação da banda Distraught o que se ouviu foi apenas a repetição constante de velocidade aliada a falta de feeling. Meu amigo, isso para mim não passa de barulho. Não é a toa que a banda está aí a mais de 20 anos – no anonimato.
    2º) Uma banda como Megadeth fará o show que foi contratado e pago para fazer. Nada além disso. Ou você acha que eles tocam uma vez a cada ano, como o Distraught?

    [Responder]

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *