Johnny Winter: um mestre do Blues

             

 

              Na última sexta-feira, dia 21 de Maio, a Branco Produções trouxe a Porto Alegre uma das maiores lendas do Blues: John Dawson Winter III, mais conhecido como Johnny Winter. O guitarrista americano de 66 anos ainda manda muito bem com a guitarra nas mãos.

              Antes do show chamou nossa atenção a presença de muitos músicos da cena gaúcha, especialmente guitarristas. Jimi Joe, Nei Van Sória e Charles Master, entre outros, compareceram para apreciar o show do guitarrista texano.
 

              Pouco depois das 21h a banda sobe ao palco para um tema instrumental. Ao final dele, o  mestre do Blues entra em cena. Um pouco debilitado e caminhando com dificuldade,  Johnny Winter é ovacionado. Aplaudido de pé, se acomoda em uma cadeira no centro do palco e abre os trabalhos com “Hidaway”.

              Com um chapéu de aba larga eu o sombreava o rosto durante todo o show, Johnny Winter é pura introspecção. Sem se dirigir muito ao público ou mesmo sorrir, o músico deixa toda a expressão para a guitarra.

              O repertório foi recheado de clássicos como “Highway 61”, “Black Jack”, “Don’t Take Advantage of Me”, “It’s All Over Now” e “Good Morning Little School Girl”, além de um cover de Jimi Hendrix, “Red House”. Nelas, Winter demonstrou todo o talento e toda a técnica que justificam sua inclusão no Hall da Fama do Blues, em 1988.

              Dono de um estilo bastante criativo no Blues, Winter tem tembém um excelente gosto para timbres e efeitos. Utiliza um set de pedais pequeno, porém bastante versátil.

              Durante toda a primeira parte da apresentação utilizou uma guitarra Erlewine Lazer. Para alegria dos fãs, após pouco mais de uma hora de apresentação as luzes se acendem. Johnny então sorri, acena e caminha até o lado esquerdo do palco para então tomar posse da velha Gibson Firebird, sua guitarra mais famosa. É com ela que Johnny Winter encerra um show memorável, que ficará nas mentes e corações dos fãs de Blues em Porto Alegre.

              Johnny Winter se apresentou sentado, caminhou curvado, andou com dificuldade. Falou pouco, se mostrou cansado. Só o que não sofre os efeitos do tempo é sua música. Ao contrário, parece seguir a velha máxima aplicada aos bons vinhos. Aos 66 aos, o velho guitarrista texano é o retrato do blues. Um velho homem, puxando sentimentos do fundo da alma e os traduzindo em notas de forma magnífica.

              O destaque negativo, como tem se tornado habitual em Porto Alegre, ficou por conta do público que não compareceu. Pouco mais de um terço dos assentos do Teatro do Sesi foram ocupados..    
         
             Como disse nosso amigo Jimi Joe ao ser questionado sobre o grande número de guitarristas presentes ali: “Os que tem bom senso, vem…”


Por: Marcel Bittencourt
 

 
 

Related posts

2 Comments

  1. Ben

    Fui de Floripa ver a apresentação em Curitiba, no teatro Guaira, dia 24. Público semelhante ao de POA…poucos garotos. Na realidade, os preços (em média 200 reais) impossibilitam a maioria dos muleques de terem acesso a essas lendas do rock.

    [Responder]

  2. Emmanuel Auigusto de Oliveira

    Simplesmente fantástico, alucinante. O mestre Johnny Winter e sua banda conseguiram transmitir todo o sentimento e beleza que se espera de um grande show de Blues. Viajei 10 horas do Paraná para assistir este Show, conhecer a cidade de Porto Alegre e ainda ver o show do ZZ Top no domingo. Agradeceria se a Fabiana Menine postasse mais algumas fotos do Show.

    Obrigado.

    [Responder]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *