Entrevista: Rita Lee

 

Na última semana tivemos a oportunidade de fazer, por e-mail, uma pequena entrevista de 5 perguntas com Rita Lee. Confira as respostas.

POA Show – Você é uma artista com uma carreira consolidada há muitos anos. Como você encara o fato de ainda gravar álbuns de estúdio e não ficar apenas se valendo de material antigo? Para você é uma opção ou uma necessidade?

Rita Lee – Marcel querido, depois de mais de 40 anos de carreira, me dou o luxo de fazer o que me dá vontade, quando me dá vontade.
 


POA Show – Sua banda é muito competente e capitaneada por seu marido. Seu filho Beto também está ali. Esse convívio em família no palco traz algum problema ou facilita? (ou ambos)

Rita Lee – Se trouxesse algum problema, não estaríamos juntos no palco. Além do mais, o salário família ficou maior.

POA Show – Você continua com uma vasta agenda de shows. No entanto, muitos artistas precisam recorrer a empregos paralelos para se sustentarem financeiramente. Como você vê essa situação e o que você aconselha aos músicos que buscam essa profissionalização?

Rita Lee – Trabalhar com música e sobreviver dela durante tanto tempo é um privilégio para poucos, agradeço aos deuses da música por tal graça.

POA Show – Na reunião dos Mutantes (Sérgio, Dinho, Arnaldo) você foi convidada? Em caso positívo, por que a negativa? Em caso negativo, isso te chateou?

(Sem resposta)

POA Show – Vocês estão preparando algo especial para as apresentações em Porto Alegre? Deixe um recado para os fãs porto-alegrenses.

Rita Lee – Vão lá me ver. Se eu contar deixa de ser surpresa.

Publicações Relacionadas

5 Comentários

  1. Pingback: Tweets that mention Entrevista: Rita Lee | POA SHOW -- Topsy.com

  2. Luana

    Poxa, a Rita nunca fala sobre o passado com os Mutantes, mas enfim, ela tem o direito de querer falar o que quiser e se quiser…

    [Responder]

  3. Beto Kaos Z Deja-vu

    Penso que a Rita era os Mutantes, e o resto que sobrou, apesar da competência, não tinha nada pra passar para o público além de maxismo.
    A Rita encantava a todos e isso sangrou o orgulho dos caras num molho pra pizza com pitadas de inveja.
    Quando ouço mutantes, penso só na Rita e tento imaginar como ela estava em cada canção e o que tenta passar de positivo.
    Tenho DVDs dela na minha video locadora em Mondaí, ao lado de Pink Floyd, Black Sabbath, Uriah Heep, Nazareth, etc, e muitos elogiam isso.
    E que nossa Rainha do Rock continue por muitos anos nos dando tantas alegrias.
    Abraços.

    [Responder]

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *