Fito Páez: consistência e qualidade sonora no Pepsi On Stage

Depois do adiamento, a recompensa para quem foi vê-lo. O roqueiro argentino mais famoso do mundo esteve mais uma vez visitando seus irmãos do lado brasileiro. Os gaúchos, que há bastante tempo vêm acompanhando de perto a trajetória deste grande artista, compareceram ao Pepsi On Stage na noite de quinta-feira para festejar o lançamento do novo disco de Paez.
O título escolhido para mais uma empreitada do cantor foi “Confiá”, e marca o retorno da pegada roqueira característica de Fito, deixada de lado no seu álbum antecessor “Rodolfo”. Já que o clima era de rock, nada mais natural que levar para o palco toda a energia que Fito quisera resgatar com seu novo trabalho. A banda contava com três guitarras, um baixo, dois teclados e uma bateria que reproduziam de forma bastante fiel boa parte das canções de Confiá e traziam muito peso e beleza para vários de seus antigos sucessos.
 
Pontualmente no horário marcado, Fito sobe ao palco do Pepsi já apresentando uma música nova, “Living In The City”, que se mostrou uma boa escolha para iniciar a apresentação. Em seguida, uma mais conhecida, “Folies Verghet” e seu mais novo sucesso, “Tiempo Al Tiempo”. Até aquele momento pessoas ainda chegavam ao show, surpresas com o fato de a apresentação já ter iniciado. Elas contavam com o infeliz e habitual atraso, que já se incutiu no nosso comportamento.   
 
“El Chico de La Tapa” em uma versão “rock n’ roll pra botar tudo abaixo” foi um dos pontos interessantes dessa apresentação, mostrando que a noite prometia muita intensidade musical. “11 y 16”, clássico absoluto, e “Circo Beat” vieram em seguida para confirmar as expectativas.   
 
Sempre alternando entre momentos viscerais e calmos, Fito conseguia conduzir a apresentação de forma que ela não se tornasse cansativa. Também demonstrou talento para a escolha do set list, que conseguiu, entre um momento e outro, apresentar várias músicas novas e algumas composições conhecidas, como “Cable a Tierra”, uma ótima escolha para acalmar e prender a atenção do público. Acompanhado somente de seu piano psicodélico, emendou um de seus maiores hits em terras brasileiras, “Track, Track” canção gravada pelos Paralamas do Sucesso, fazendo o coro do público soar mais alto. É interessante observar que esta música é famosa somente no Brasil, pois quase não é tocada nos demais dos países onde Fito se apresenta, e a versão executada nos seus shows é a dos Paralamas, não a sua (a original é bem chata). Fechou de forma magnífica essa trinca voltando ao melhor de suas composições roqueiras com “El Diablo de Tu Corazón”.
 
Já para o fim do show estavam guardados mais alguns de seus petardos, a começar por “Tumbas de La Glória”, que apesar de não ser tão conhecida como as que se seguiram, funcionou muito bem ao vivo. “Te Vi”, quase que inteiramente cantada pelo público, e “Al Lado Del Camino” mostraram o quão forte conseguem ser algumas de suas composições, com letras e melodias aliadas de forma magistral. “Ciudad de Pobres Corazones”, com um peso descomunal de quatro guitarras abriu o caminho para a festiva “A Rodar Mi Vida”, que encerrou a apresentação antes do bis.
 
De volta ao palco depois de alguns minutos, agora vestindo um elegante terno branco, Fito se pôs ao piano para executar a maior surpresa da noite, “Vaca Profana”, de Caetano Veloso, em uma versão em “portunhol” muito bacana, e muito bem recebida pelo público. “Dar Es Dar” esquentou a platéia para o seu maior clássico: “Mariposa Teknicolor”, que encerrou com chave de ouro mais uma apresentação de Fito Paez em solo gaúcho.
 
O Pepsi On Stage não estava totalmente lotado, talvez até com menos público se comparado à última vez em que tocou neste mesmo palco há dois anos. No entanto esta apresentação foi, de longe, bem melhor do que anterior (e olha que aquela já tinha sido boa). Uma banda muito entrosada e mais completa fez com que o show ganhasse muito em matéria de consistência e qualidade sonora.
 
Apesar de não ser uma super estrela, daquelas que levam multidões por onde passa, ou mesmo contar com uma boa divulgação do seu trabalho por parte de sua gravadora, a poderosíssima Sony Music, Fito tem um público muito fiel, que vai às suas apresentações e sempre volta, como é o que vai acontecer comigo quando ele voltar a tocar por essas bandas.  
 
Set List:
– Living in the city
– Follies verghet
– Tiempo al tiempo
– Confiá
– El chico de la tapa   
– Llueve sobre mojado
– La nave espacial
– London town
– 11 y 16
– Circo beat
– Limbo mambo
– Cable a tierra
– Track, track
– El diablo de tu corazón
– La ley de la vida
– Naturaleza sangre
– El mundo de hoy
– Tumbas de la gloria
– Te vi
– Al lado del camino
– Polaroid de locura ordinaria
– Ciudad de pobres corazones
– A rodar mi vida
Bis:
-Vaca profana (Caetano Veloso)
– Dar es dar
– Mariposa teknicolor
 
Por: Angelo Borba
Fotos: Karina Kohl
 

Publicações Relacionadas

1 comentário

  1. Pingback: Tweets that mention Fito Páez: consistência e qualidade sonora no Pepsi On Stage | POA SHOW -- Topsy.com

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *