Norah Jones: jazz, country, folk e blues se encontram no Teatro do Bourbon Country

 
Lançando o álbum "The Fall" e finalmente fazendo uma visita a Porto Alegre, após 6 anos de espera, Norah Jones realizou na noite de ontem (18 de novembro) o último show da atual turnê no Teatro do Bourbon Country.
 
Abrindo os shows da cantora, o cantor, guitarrista, produtor e compositor Jesse Harris executou um set de pouco mais de meia hora, com músicas de sua carreira, que já contabiliza mais de dez álbuns, incluindo uma composição de seu último disco, o instrumental "Cosmo".
Jesse foi bem recebido ao apresentar composições leves e atrair atenção com um show que, apesar da qualidade harmônica, fora simples, tendo na sua totalidade apenas dois músicos no palco: Jesse na guitarra e vocais (chegando a lembrar o também estadunidense John Mayer em alguns momentos) e o percussionista Bill Dobrow, que deu um certo "colorido" às músicas tocadas.
 
Pontualmente às 23h, Norah Jones e sua banda sobem ao palco, sob os aplausos do Teatro para iniciar o show com "I Wouldn't Need You", a quinta faixa do último álbum, o já citado The Fall. Em seguida, mais uma das tantas faixas do álbum que se fizeram presentes no set list: "Tell Yer Mama". 
Durante a execução das duas primeiras músicas, Norah tocou guitarra (uma Fender Jaguar), fazendo bonito em dedilhados minuciosos e até executando pequenos solos. 
 
"Light as a Feather", música de clima pesado, fez com que todo o público se concentrasse em Norah e sua banda como se estivesse ocorrendo no palco algum tipo de ritual. Ao final da música a cantora, ainda tocando guitarra, vira-se para o baterista, para através de olhares encerrarem a canção.
 
Antes de "Even Though", Norah sauda a plateia e pratica um pouco de português. Aqui, a cantora dirige-se a um pequeno órgão, no qual executa mais algumas composições – na maioria de seu último lançamento, que como nota-se até aqui, foram maioria no set escolhido não só para este show, mas para toda a turnê, onde Norah chegou, em algumas apresentações, a tocar o álbum The Fall inteiro.
 
"It's Gonna Be", com certeza uma das melhores faixas de The Fall, marcou um dos melhores momentos do show, ainda que tenha tido seu solo original (antes executado pela própria Norah) substituído por um de seu tecladista, John Kirby. Logo depois, "Chasing Pirates", o novo single, colocou algumas pessoas para cantar no Teatro, enchendo o local com sua melodia um tanto 'simpática'.
 
E por falar em simpatia, Norah Jones deveria carregar a palavra em seu próprio nome: a cantora sorri e brinca com o público, sem exageros, de forma doce e sutil. Ao início de Chasing Pirates, perguntou como estava o público do alto do Teatro e convidou as pessoas a descer e ocupar os assentos mais próximos ao palco, sinalizando um "jóia" para o primeiro casal que o fez; ainda respondeu um "I love you, Norah", dizendo "Obrigado!" e prontamente corrigindo-se: "ObrigaDA! I'm not a man! Sorry, still learning", arrancando risos da plateia.  
 
Anunciando uma passagem onde a banda adentraria a cultura country de seu país, a cantora, do sul dos EUA, incluiu no set duas versões para músicas de Willie Nelson: "What Do You Think Of Her Now?" e "Lonestar", esta última gravada em seu primeiro álbum, "Come Away With Me".
 
Agora, ao piano, mais algumas canções recentes, como "You've Ruined Me" e "Back to Manhattan", gerando uma atmosfera intimista em meio aos acordes leves e a bela voz de Norah. Em seguida, algumas -poucas – músicas de álbuns anteriores foram apresentadas, como Painter Song (na qual a banda retirou-se de cena, restando apenas a cantora) e Sinkin' Soon.
 
O mestre das guitarras Smokey Hormel roubou a cena em vários momentos com seus instrumentos vintage e uso de vários tipos de efeitos, tanto em pedais como na própria guitarra, desafinando-a, arrastando a palheta nas cordas e fazendo ótimo proveito da ponte tremolo através da alavanca.
 
A inesperada "Dauphin Island" foi executada apenas por Norah Jones, que tocava uma "miniatura de piano" e sua violonista, Sasha Dobson, queencarregou-se do banjo. Juntas, fizeram harmonias vocais impecáveis. Vale a pena conferir esta pérola no YouTube.
 
Com certeza, muitos fãs ficaram na espera de músicas de álbuns anteriores, como "Feels Like Home", que até aqui não havia tido nenhuma representação. Em dado momento um fã grita "Turn Me On". Norah ouve e responde, com bom humor: "Oh yeah…I'll turn you on later".
 
A sede de quem sentiu falta de sucessos antigos foi brevemente saciada com o hit "Don't Know Why", para a qual Norah convidou Jesse Harris, compositor da canção (e vencedor de um grammy com tal feito) que tocou violão. Logo após, a faixa título do álbum, "Come Away With Me" foi ovacionada logo no início e encerrou o primeiro "capítulo" do show.
 
Apesar dos gritos e aplausos incessantes, algumas pessoas se levantaram e deixaram o Teatro. Pouco depois, Norah e banda retornaram para mais. Desta vez seria um set acústico: os seis músicos ao redor de um microfone de ótima capacidade de captação. Norah novamente no mini piano, Smokey no violão dobro (guitarra acústica de alumínio com som caraterístico), Sasha ao violão e voz, o baterista Jon Waronker no cajón, o tecladista John Kirby no acordeon, e o baixista William Seyffert no contrabaixo e voz.  
 
O final do show foi um dos momentos mais bonitos da apresentação, com unida executando "Sunrise", um dos mais aclamados singles da carreira de Norah Jones. Nesse momento fãs desciam alguns degraus e acomodavam-se no chão, perto do palco. Alguns nem sequer voltaram a sentar.
"How Many Times Have You Broken My Heart?" e a super country "Creepin' In" fecharam a apresentação, com solos de Smokey Hormel em referência a "Asa Branca", fazendo com que o público aplaudisse antes mesmo do último acorde.
 
Agora sim, a despedida da cantora que, mesmo praticando um set list repleto de novidades e com poucas referências aos três álbuns anteriores, que a conduziram e confirmaram seu sucesso mundial, conseguiu realizar uma inesquecível apresentação, com qualidade para ser lembrada como uma das melhores de 2010 em Porto Alegre.
 
 
Set list:
 
I Wouldn't Need You
Tell Yer Mama
Light As a Feather
Even Though
Young Blood
It's Gonna Be
Chasing Pirates
Rosie's Lullaby
What Do You Think of Her Now? (Willie Nelson cover)
Lonestar (Willie Nelson cover)
You've Ruined Me
Back to Manhattan
Painter Song
Sinkin' Soon
Dauphin Island
Stuck
Don't Know Why
Come Away With Me
 
 
Encore (acústico):
 
Sunrise
How Many Times Have You Broken My Heart?
Creepin' In  
 
Por: Murilo Bittencourt
 

Related posts

1 Comment

  1. Pingback: Tweets that mention Norah Jones: jazz, country, folk e blues se encontram no Teatro do Bourbon Country | POA SHOW -- Topsy.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *