Bebeto Alves no lançamento da caixa 3D

Incluso no seleto grupo dos músicos que ainda conseguem ser referência de qualidade no cenário musical gaúcho, Bebeto Alves lançou uma caixa com 3 CDs (veja matéria com entrevista aqui no site) nas noites quinta, sexta-feira e sábado no Teatro do SESC. Nós estivemos lá para conferir como foi a receptividade do público a esse novo trabalho de Bebeto.

A apresentação ocorrida no sábado foi, naturalmente, a que teve o público mais quantitativo, mas não o suficiente para lotar a casa. Aliás, as apresentações poderiam ter sido divididas apenas entre sexta-feira e sábado para que não ficasse tão fragmentado. Uma questão de detalhe, mas que teria jogado a favor de Bebeto. Mesmo assim, o público que compareceu estava ansioso para ver o que esse grande compositor tinha reservado para as noites de estréia.

Acompanhado dos sempre parceiros Blackbagual`s (Marcelo Corseti, Luke Faro e Rodrigo Rheinheimer), o Músico deu início a apresentação com “AEIOU”, seguida de “Noticia urgente”, “Naval”, “Festa dos Caranguejos” e a milonga sui gêneris “Tum tum Tum”, exatamente igual à ordem que compõe o CD ao vivo presente na caixa. A qualidade do som estava ótima, todos os instrumentos bem nítidos e a iluminação era um show à parte, eficiente do início ao fim.

O setlist nesta primeira parte do show era totalmente baseado no disco ao vivo, aproveitando a ótima banda que o acompanha e que esteve presente na gravação. O show contou com um momento muito bacana em que foram apresentadas as suas músicas inéditas. Repetindo o formato do disco, Bebeto se pôs ao violão e, acompanhado de Luke Faro e Rodrigo Rheinheimer nas percussões, executou os temas acústicos de “O maravilhoso mundo perdido”, começando pelo ritmo árabe de “Carretera” e seguindo pela maravilhosa “Ruas”, onde o artista constrói uma poesia interessantíssima, beirando ao surreal, sobre a vida que ora paira nas ruas, e ora possuem as ruas. Destaque também para o swing de o “Mar de Gente”, e a singeleza impressionante de “Te cuida”.

Terminado o trecho acústico, volta a banda para concluírem a apresentação com alguns dos clássicos da carreira de Bebeto. Estavam lá os temas que foram consagrados nos anos 80 como “Pegadas” e “Depois da chuva”, pra começar com as mais famosas. Ainda tivemos “Flash” e o encerramento com a belíssima “De Um Bando”.

Foi uma apresentação irretocável tecnicamente e que conseguiu abranger praticamente toda a sua carreira. Bebeto conseguiu mostrar que ainda tem muita lenha pra queimar, e um grande repertório a sua disposição, construído de décadas, para continuar dialogando com um público atualmente tão carente de artistas de espírito jovem e tão questionadores como ele.

Publicações Relacionadas

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *