Matanza lança “Odiosa Natureza Humana” no Opinião

Noite de domingo e Porto Alegre recebe, mais uma vez, os cariocas do Matanza. O Opinião, tradicional casa da banda na capital, foi palco da maior e melhor apresentação dos caras desde que incluíram a cidade em suas turnês.

 Como é tradicional, a Pisca Produtora disponibilizou espaço para duas bandas mostrarem seu trabalho antes da atração principal. O power trio Zerodoze mostrou seu Rock and Roll com muita competência com o é de costume. Destaque para duas composições novas:  “Essa Mulher” e “Da Onde Veio”, que, respectivamente abriram e fecharam o curto show dos caras. Já a Ferrolho enfrentou problemas: seu Punk/HC não agradou à maioria e a banda foi alvo de vaias. Destaque para “Crianças do Brasil” e para o cover de “Boy do Subterrâneo”, dos Replicantes.

 Pouco depois das 21h30 o Matanza é anunciado. Após introdução instrumental, executada por China (Baixo), Mauricio Nogueira (Guitarra) e Jonas (Bateria), Jimmy London, líder e imagem do Matanza assume o microfone para “Remédios Demais”, música que abre o último álbum da banda, o excelente “Odiosa Natureza Humana”. Já era possível observar a fidelidade dos fãs do Matanza, que mesmo com pouco tempo desde o lançamento já conhecia a letra em sua totalidade. Na sequência, “Ressaca Sem Fim”, também cantada a plenos pulmões pelo público presente.

Os clássicos estiveram todos presentes. “Bom é Quando Faz Mal” foi uma das canções que mais arrancaram barulho do público. “Pé Na Porta, Soco na Cara”, igualmente. “Clube dos Canalhas” e “Maldito Hippie Sujo” também botaram o Opinião abaixo.
    “Agora chegou a hora de tocar as únicas músicas desse show que não falam besteira”, disse Jimmy antes dos clássicos “Home of the Blues” e “Straight A’s In Love”, de Johnny Cash

Apesar dos textos recitados por Jimmy já serem um pouco conhecidos, são sempre um show à parte. “O maior pesadelo de um homem não é ela roubar seu dinheiro, nem ela roubar a sua comida, nem ela roubar a sua bebida… o maior pesadelo de um homem é ela roubar seu caminhão!”, disse o gigante irlandês antes de “Ela Roubou Meu Caminhão”. O encerramento da celebração ficou por conta de “Estamos Todos Bêbados” (com parte do público abraçado cantando a canção) e “Interceptor V6”.

Com o Opinião completamente lotado, foi um pouco difícil ver a apresentação do Matanza, mas o que pode se ouvir foi, definitivamente, a maior e melhor apresentação da banda em Porto Alegre. Foram 32 canções ao longo de uma hora e quarenta minutos, trinta a mais do que o habitual.    A performance da banda foi espetacular. Certamente o show do Matanza na turnê “Odiosa Natureza Humana” pode figurar nas listas de melhores shows de 2011. E o fato de uma banda pesada, com um estilo totalmente único e fora dos padrões comerciais conseguir lotar uma das mais conhecidas casas de show do país demonstra que o Rock tem, ainda, muita força.

    Que venha o próximo.

Por: Marcel Bittencourt

Related posts

1 Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *