Paralamas do Sucesso: comemorando os 25 anos do disco “Selvagem?” no Opinião

   Paralamas do Sucesso

Parte relevante da história do Rock Nacional, os Paralamas do Sucesso estão na estrada com um trabalho sólido e de qualidade há mais de 30 anos. Sem alterações em sua formação, João Barone (Bateria), Bi Ribeiro (Baixo) e Herbert Vianna (Vocal e Guitarra) já gravaram exatos 20 álbuns de estúdio, alguns deles figurando entre os maiores clássicos do chamado Rock Nacional.

A atual turnê comemora 25 anos de “Selvagem?”, de onde saíram clássicos como “Alagados”, “A Novidade”, “Melô do Marinheiro” e a própria canção que dá nome ao trabalho. Em mais de uma hora e meia de uma apresentação especial, o trio proporcionou mais uma daquelas apresentações memoráveis no Opinião.    Eram 22h30 quando os Paralamas subiram ao palco: Além da banda de apoio (que acompanha o trio há anos) Herbert, Bi e Barone chegam em companhia mais do que especial: uma segunda guitarra foi assumida pelo lendário produtor Liminha, que além de ter no currículo diversos discos de artistas como Titãs, Gilberto Gil e Lulu Santos, foi produtor de cinco trabalhos dos Paralamas, sendo o primeiro deles o clássico “Selvagem?”.

    Sobe bela iluminação e submersos em um som simplesmente perfeito, a banda começa tocando “Selvagem?” na íntegra. Apesar de obter resposta mais fervorosa apenas nos grandes hits (estes mesmos, já citados anteriormente), foi um grande presente para os fãs poder ouvir canções como “Terrã” e “O Homem”. O destaque para a qualidade e competência do trio, incontestável, faz-se necessário também destacar.

    A segunda metade do show contou apenas com hits: “O Calibre”, “Ela Disse Adeus”, “O Beco” e “Meu Erro” levantaram ainda mais o público. A emoção ficou por conta das belas baladas “Lanterna dos Afogados”, “Cuide Bem do Seu Amor” e “Caleidoscópio”. “Loirinha Bombril” e “Uma Brasileira”, fecharam a primeira parte deste show impecável.

    Para o bis a banda opta por mais um apanhado de sucessos: “A gente sempre foi muito fã dos Titãs!”, anunciou Herbert Vianna antes de “Sonífera Ilha”. Em seguida, “Cinema Mudo” e “Vital e Sua Moto” foram cantadas pelo público do início ao fim.

    Sem fazer menção de deixar o Opinião, o público pede mais. A banda retorna para um segundo e surpreendente bis. Herbert convida o público para mais alguns minutos de diversão “A gente pode fazer alguns testes pra memória de vocês?”. Os clássicos absolutos “Óculos” e “Alagados” fecham o show histórico no Opinião, mas não sem antes a banda deixar uma mensagem: “Vamos todos dar as mãos para todo mundo que precisa de ajuda. Vamos fazer desse país um país mais humano e verdadeiro”.

    O álbum “Selvagem”, presença freqüente em diversas listas de melhores álbuns do Rock Nacional tem importância incontestável na história. Sua mistura de estilos e sua linguagem direta aliada a uma sonoridade visceral justifica seu destaque. A apresentação de terça serviu não apenas para ressaltar essa importância, mas para atribuir ainda mais valor os Paralamas, que seguem na estrada fiéis à sua proposta e sem, em momento algum, render-se a modismos ou tendências.

    Um grande show de uma grande banda.

    Que venha o próximo!

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Liny Rocks

Publicações Relacionadas

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *