Jupiter Maçã: gravando DVD ao vivo no Opinião

Júpiter Maçã, também conhecido por Júpiter Apple, dispensa apresentações.  Após participar de duas das mais importantes bandas do rock do Rio Grande do Sul – TNT e Cascavelettes – Júpiter iniciou uma carreira solo marcada pela criatividade. Faltava um registro ao vivo de sua carreira – lacuna preenchida com a gravação de um DVD ao vivo no último dia 23 no Bar Opinião em uma noite definida pelo próprio Júpiter como “a noite do despertar da libido, do tesão e da aflição".

Com atraso, Júpiter sobe ao palco às 23h50, ovacionado pela platéia que lotava o Opinião. O show inicia com a canção “Modern Kid”, lançada em 2009 e que pode ser considerada um dos melhores momentos do show, com a platéia dançando e cantando cada sílaba da música. Após “Querida Superhist X Mr. Frog”, Apple pega a guitarra e segue desfilando hits, como “Síndrome de Pânico” e “Little Raver”.

Com a canção “Beatle George” – apresentada pelo artista como “uma singela homenagem a um homem assertivo” – Júpiter inicia a série de participações especiais em seu DVD. O músico Lúcio Vassarath sobe ao palco para acompanhar Júpiter com o sitar nesta e em mais duas músicas, incluindo “As Tortas e as Cucas”, cuja versão com o uso do sitar ficou extremamente interessante e diferente. Para “Eu e Minha Ex”, Júpiter assumiu o piano e recriou ao vivo o clima jazzista da música. Prosseguindo nas participações especiais, Júpiter chama Hique Gomez, que participa de duas músicas, incluindo “Mademoiselle Marchand”, em que divide o palco com a acordeonista Bibiana Graeff.

Um dos momentos mais especiais do show – o mais especial para muitos dos fãs presentes no Opinião – foi a participação de Nei Van Soria. Todos os integrantes da banda que acompanha Júpiter se retiraram do palco, deixando somente Júpiter e Nei protagonizarem um momento histórico ao cantarem juntos a música Lobo da Estepe. Nei permaneceu no palco por mais duas músicas, covers de artistas que exercem extrema influência na obra de ambos: “All I Have To Do Is Dream” de Bob Dylan e “Love Me Do”, dos Beatles, levando o público que ansiava por esse momento à loucura. O bis rolou após breve intervalo e a volta de Jupiter para encerrar a noite com “A Marchinha Psicótica de Dr. Soup”, “Cachorro Louco” e a clássica que jamais poderia faltar em um show de Júpiter Maçã, “Lugar do Caralho”.

Outras participações especiais da gravação do DVD foram o Conjunto Bluegrass Porto-Alegrense e o lançamento do projeto Hamburg Black Cats, projeto paralelo que apresenta as músicas do cantor com um clima mais “orgânico e tribal”, conforme apresentado pelo artista. O show, além de marcar a gravação do registro ao vivo ainda inédito na carreira de Jupiter, marcou o lançamento da J.A.C.K., ou “Jupiter Apple Corporation and Kingdom”, definido como um estúdio e escritório inspirado no estúdio Factory, criado por Andy Warhol  na década de 60.

Por: Nayane Bragança

Fotos: Maria Helena Sponchiado

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *