Concerto de Natal – Participação especial de Paulinho da Viola

O Concerto de Natal acontece no dia 11 de dezembro, às 20h, no Parque Moinhos de Vento, com entrada franca, e contará com a participação especial do sambista Paulinho da Viola. No repertório obras de Bizet, Gershwin, Verdi, Queen, Elton John e músicas de natal serão interpretadas pelo Coral e a Orquestra Filarmônica da PUCRS, além das canções do músico convidado. A apresentação, com regência do maestro Marcio Buzzato, terá os solistas Adriana de Almeida, Marcello Vannucci, Luis Gaeta e Panta, além das participações do Ballet Concerto e do Tango Show. Durante o evento acontecem ainda as últimas gravações para o documentário Nossa Música: A história dos Concertos Comunitários, que comemora os 25 anos que a série musical completa no ano que vem.

_MG_6395
Crédito: João Freitas

 

PAULINHO DA VIOLA – Filho do músico Cesar Faria, Paulinho da Viola cresceu num ambiente naturalmente musical. Na sua infância em Botafogo, bairro tradicional da zona sul do Rio de Janeiro onde nasceu em 12 de novembro de 1942, teve contado constante com a música através do pai, violonista integrante do conjunto Época de Ouro. Nos ensaios familiares do conjunto, Paulinho conheceu Jacob do Bandolim e Pixinguinha, entre muitos outros músicos que se reuniam para fazer choro e eventualmente cantar valsas e sambas de diferentes épocas.

Ao longo dos anos 70, Paulinho gravou em média um disco por ano, ganhou diversos prêmios e se apresentou por diversas cidades no Brasil e no mundo. Já nos anos 80, gravou mais quatros discos e manteve-se como um dos principais nomes do samba no país. Nos anos 90, entrou numa nova fase, onde a imprensa e os críticos passaram a vê-lo como um músico mais sofisticado e maduro. Mesmo sem perder seu apelo popular, Paulinho gravou um de seus mais importantes trabalhos, Bebadosamba e montou o espetáculo homônimo.

O trabalho de Paulinho hoje é visto como um elo entre diversas tradições populares como o samba, o carnaval e o choro, além de suas incursões em composições para violão e peças de vanguarda. Um dos maiores representantes do samba e herdeiro do legado de músicos como Cartola, Candeia e Nelson Cavaquinho mostra que está sempre se renovando e produzindo sem abandonar seus princípios e valores estéticos.

MARCIO BUZZATO – Maestro – Bacharel em Regência e também em Composição pela UFRGS, ambos obtidos com Láurea Acadêmica. Professor substituto de Regência na mesma universidade em 2005 e 2006, época em que dirigiu o Madrigal do Departamento de Música. Esteve à frente do Coral da UFRGS, do Coral Porto Alegre e desde 2005, do Coro da URI-Erechim. É professor substituto de Regência e Canto Coral na UFSM, conduzindo o Coro de Câmara da mesma instituição. Participou de vários cursos intensivos e festivais, onde na área de regência orquestral esteve nas classes de maestros como Lutero Rodrigues (SP), Roberto Duarte (RJ-), Ernani Aguiar (RJ), Emanuel Martinez (PR), Manfredo Schmiedt (OSPA-RS), Jocelei Bohrer (UFRGS/RS), Roberto Tibiriçá (SP), Osvaldo Ferreira (Portugal), Lanfranco Marceletti (Brasil-EUA), Jean Reis (Brasil-EUA) e Daisuke Nagamine (Japão). Atualmente é Regente do Coral e Orquestra Filarmônica da PUCRS.

MARCELLO VANNUCCI – Tenor – Estreou em 1993 como solista do Coral Estadual de São Paulo. Incentivado pelo pai, iniciou seus estudos de canto com o Professor Benito Maresca, com quem permanece sob orientação técnica. Sua estréia na ópera foi em 1995, com Nabuco, no papel de Ismaele, junto à Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. Desde então tem se apresentado em óperas e concertos, com um repertório que inclui: A Noite do Castelo, Maria Tudor, O Colombo, Salvator Rosa, O Guarani, Lo schiavo de Carlos Gomes; Alzira, Il Trovatore, Rigoletto, La Traviata, Otello, I Masnadieri, Simon Boccanegra e I Vespri Siciliani de Verdi; Cavalleria Rusticana, de Mascagni; Madama Butterfly, La Fanciula Del West, e Tosca de Puccini; Carmen de Bizet; Lucia de Lammermour, de Donizetti. Já se apresentou nos maiores palcos do Brasil sob a regência de alguns dos mais destacados regentes: Julio Medaglia, Isaac Karabtchevsky, Túlio Colaccioppo, Roberto Duarte, Frederico Gerling Junior, Roberto Minczuck, Jamil Maluf, Mario Valério Zaccaro, Silvio Barbato e Ira Levin. Participou na Espanha em 1998, do concurso de canto Vinhas, onde ganhou bolsa de estudo com a soprano Magda Olivero. No mesmo ano ganhou prêmio Carlos Gomes no concurso Maria Callas. Apresenta-se com solista de concertos sinfônicos-corais, destacando-se a Missa in Tempore Belli, de Haydn, o Réquiem de Verdi. Em 2003, dividiu o palco com a Soprano Kiri Te Kanawa em sua turnê pelo Brasil. Em 2004 participou da montagem da opera Turandot,em Belo Horizonte onde estavam  produtores e maestros de todos os estados Brasileiro obtendo uma excelente critica, tanto que será reproduzida em Novembro. Recentemente participou da montagem da ópera Aída em Medellín, Colômbia. Atualmente integra o Coral Lírico de São Paulo e prepara seu repertório com a professora Izabel Maresca.

LUIS GAETA – Barítono – O arquiteto Luis Gaeta graduou-se em canto no Instituto Superior de Artes do Teatro Colón, onde também é professor. Estudou com Carlos Guichandut, Gina Cigna e Margherita Wallmann. Em Florença, 1981, participou de Workshops com Tito Gobbi.  Ao longo de sua carreira recebeu diversos prêmios, destacando: Fundação Teatro Colón em (1979 e 1980), Instituto Internacional Wagner (1979), Domenico Zipoli (1980),  Associação Verdi (1984, 1985 e 1989), Associação de Críticos Musicais (1990, 1992 e 1995), Fundação Konex (1999). Na Europa interpretou: Rigoletto, I Pagliacci, Bodas de Fígaro em Bregenz; Samson e Dalila, Tosca e Don Giovanni em Palma de Mallorca. Nos Estados Unidos, Santa Bárbara interpretou a obra Estancia, de A. Ginastera. No Teatro Colón interpretou os papéis protagonistas para sua voz das óperas La Fanciulla del West, Guerra e Paz, Pique Dame, Werther, La Bohème, Mahagonny, El caso Makropulos, Barbeiro de Sevilha, Fausto,  Yolanta, Bodas de Fígaro, I Pagliacci, Os Contos de Hoffman, O Amor por três Laranjas, Madame Butterfly, Don Carlos, Romeu e Julieta, Rigoletto, Don Pasquale, Fedora, O Conde de Luxemburgo, Lucia di Lammermoor, Il Trovatore, L´Elisir D´Amore, entre outras. Cantou com a Orquestra Sinfônica de Israel sob a regência de Zubin Metha, assim como trabalhou com renomados maestros como M. Arena, O. de Fabritis, M. Pradelli, R. Gandolfi. Gravou em CD, nos estúdios de Abbey Road, junto à Sinfônica de Londres, Estância de A. Ginastera. Cantou junto a grandes artistas como: Luciano Pavarotti, Plácido Domingo,  Pierro Cappuccilli,  Regine Crespin, José Van Dam, Renée Fleming, Ferruccio Furlanetto,   Leona Mitchel,   Dolora Zajik, Mirella Freni, Marcelo Alvarez e Jose Cura, entre outros. Em 2003 substituiu Leo Nucci no rol de Tonio (I Pagliacci), no Teatro Municipal de Santiago, Chile. Em 2004 integrou os elencos das óperas Rigoletto (Lima) e La Bohème (Quito), além de comemorar seus 50 anos de carreira com um grande concerto em Lima. Tem desenvolvido sua carreira cantando nas principais cidades das Américas e Europa. Em 2007 recebeu o diploma de Acadêmico Titular da Academia Argentina de Música e Dança. Participou do concerto comemorativo aos 100 anos do Teatro Colón.

ADRIANA DE ALMEIDA – Soprano – Teve como mestre e orientador de sua carreira tanto como cantora quanto como administradora o Maestro Frederico Gerling Junior. Atua ativamente nas realizações artísticas em Porto Alegre, participando com destaque das óperas: Rigoletto; Fausto; O Barbeiro de Sevilha; A Flauta Mágica; La Traviata; O Morcego; L’Elisir D’Amore; O Guarani; A Viúva Alegre; Carmen; La Bohème; Carmela; I Pagliacci , Il Trovatore e Aída. Dentre as principais obras do repertório sinfônico e de oratórios destaca: Requiem (Verdi); Requiem, Missa da Coroação, Exultate Jubilate e Vesperae Solemnes de Confessore (Mozart); Dixit Dominus (Vivaldi); Stabat Mater (Rossini); Stabat Mater, Missa Breve e Dois Poemas ao Sol (Gerling Jr.); Missa Theresien (Haydn); O Messias (Händel); Carmina Burana (Orff); IX Sinfonia (Beethoven); Sinfonia N.º2 (Mendelssohn) entre outras. Possui diversos CD’s gravados, destacando: Ópera Carmella, de A. Vianna; Obra para Canto e Piano de A. Vianna (Cd vencedor do Prêmio Açorianos 1994); Série Concertos Comunitários Zaffari; Cantata Rei dos Reis, de F. Gerling Junior, Oratório de Natal de Saint-Säens e CD Canções Brasileiras. Atualmente faz aperfeiçoamento em canto com o Prof. Pedro Gória. É Diretora do Instituto de Cultura Musical da PUCRS.

BALLET CONCERTO – Fundado em 1993, sob a direção de Victória Milanez, o grupo tornou-se referência quando se fala em dança clássica no RS. Vencedor do Prêmio Açorianos de Melhor Espetáculo de Ballet Clássico de Repertório/1998 com o Ballet Don Quixote, estreado em outubro de 1998, com financiamento do Fumproarte/PMPA e com apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Um de seus mais recentes trabalhos foi o Ballet Giselle – 2? Ato, atendendo a um pedido do Projeto Unidança da Prorext / Ufrgs. Este espetáculo recebeu o Prêmio Açorianos de Melhor Espetáculo de Ballet Clássico de Repertório/1999. Junto a OSPA participou das obras Carmina Burana e Ópera Carmela. Com o Instituto de Cultura Musical da PUCRS, além da série Concertos Comunitários Zaffari, participou das óperas La Traviata, I Pagliacci , A Flauta Mágica, Il Trovatore, Aída e da Opereta A Viúva Alegre.

 

_MG_6494

Crédito: João Freitas


CONCERTOS COMUNITÁRIOS VIRA DOCUMENTÁRIO

Em comemoração aos 25 anos de apresentações dos Concertos Comunitários, que serão completados no ano que vem, a série musical protagonizada pelo Coral Universitário e Orquestra Filarmônica da PUC, com patrocínio do Grupo Zaffari, ganha o documentário Nossa Música: A história dos Concertos Comunitários. Realizado pela Opus Promoções, em parceria com a Okna Produções, o projeto vai identificar como os concertos influenciam a sociedade e como a música se mostra presente na rotina da comunidade.

A captação de imagens para o documentário iniciou em agosto deste ano, no Concerto em Caxias do Sul, e chega ao final no Concerto de Natal. A equipe fez imagens de ensaios, montagem de eventos e lembranças dos músicos que compõem a orquestra durante quatro espetáculos. Para o diretor do documentário, Pedro Zimmermann, o trabalho deve mostrar uma visão abrangente das apresentações, dando ênfase à relação entre os músicos e a plateia, dentro e fora dos palcos. “Acredito que os Concertos Comunitários colocou a população do Rio Grande do Sul em contato com a música de qualidade”, afirma.

SERVIÇO

Participação especial de PAULINHO DA VIOLA

Dia 11 de dezembro

Domingo, às 20h

Parque Moinhos de Vento – Parcão (Junto às quadras esportivas)

Classificação: Livre

Duração: 1h30min

*Em caso de chuva forte no dia do evento, o mesmo será adiado. A nova data será divulgada posteriormente.

ENTRADA FRANCA

 

 

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *