Entrevista: Hibria e Distraught

 

 

Há mais de 15 anos duas grandes bandas fazem a história como referência no Heavy Metal gaúcho, obtendo, inclusive, status de destaques nacionais. Também atravessaram as fronteiras do país em turnês onde levaram, cada uma em seu estilo, o Heavy Metal brasileiro a terras distantes. Na próxima quinta-feira o Beco recebe, novamente, o encontro entre Hibria e Distraught, no que promete ser uma grande noite para os fãs do Metal. Sobre esta parceria de longa data e tudo que a envolve, o guitarrista Abel Camargo (Hibria) e o vocalista Andre Meyer (Distraught) falaram com exclusividade ao POA Show.

 

POA Show – Hibria e Distraught vem se destacando na cena Metal brasileira, e não é de hoje. No entanto, essa não é a única relação entre as bandas que vão dividir o palco do Beco na próxima quinta-feira. De onde vem essa parceria e de quanto tempo ela data?

 

Abel Camargo – Obrigado pelo apoio! Essa parceria vem desde os tempos de Bar João, lá por 97 ou algo assim. O Bar João era um ponto de encontro entre a galera que curtia metal, gostava de tomar ceva e jogar sinuca. Já conhecia a Distraught de nome e, depois do nosso primeiro show no bar João, o André e eu batemos um papo e pensamos em fazer um show com as duas bandas. De lá pra cá, já foram mais de sete ou oito shows juntos. A gente tem muito orgulho dessa parceria construída ao longo dos anos junto com os amigos da Distraught.

Andre Meyer – Sim, somos grandes amigos de longa data. Começamos a organizar shows  juntos desde o tempo dos festivais do Armindão em São Leopoldo, depois no Porto de Elis acho que lá pelo ano de 2000 e também estamos sempre aprendendo juntos, trocando idéias de produção de nossos discos, instrumentos, amplificadores, música etc. Somos irmãos, não há uma competição. Quando a gente decide fazer um show juntos o resultado sempre é positivo e divertido.

 

POA Show – O show da quinta representa o lançamento de novos trabalhos. Como foi o processo de produção do DVD “Blinded by Tokyo – Live in Japan” e do álbum “The Human Negligence is Repugnant”?

 

Andre Meyer – Começamos nossas composições no final de 2010, então fizemos uma pré-produção na casa do Ricardo. Ele comprou uma placa de som e fomos trabalhando nossas músicas. Uma das grandes preocupações nesse disco era que tivessem refrões marcantes, um trampo de baixo e bateria que formasse uma massa sonora de muito peso, com partes rápidas e cadenciadas e bons riffs de guitarra. Gravamos no Estúdio Navarro por Augusto Damé em Canoas, que dispõe de tudo que precisávamos para fazer uma boa captação. Depois, a mixagem e a masterização ficaram por conta do Estúdio Mr. Som, em São Paulo, onde mais uma vez Heros Trench (Korzus) deixou nossas músicas em um nível muito satisfatório.

 

Abel Camargo – Gravamos nosso DVD “Blinded by Tokyo – Live in Japan” no último show da nossa terceira tour pela Ásia, em maio do ano passado, em suporte ao nosso terceiro álbum – “Blind Ride”. Toda equipe que trabalhou na gravação do DVD foi do Japão, com exceção do nosso produtor na época, Juan Corral, da Marília de Souza, que dividiu as fotos com a japonesa Yuki Kuroyanagi, e de um grande amigo brasileiro nosso lá, Lyncoln Saito. Do lado de cá, a mixagem e a masterização ficaram nas mãos do nosso baixista, Benhur Lima, encarte com o Diego Kasper, nosso ex-guitarrista, e capa e contracapa com Gustavo Sazes. As edições de imagem foram feitas pelo Eduardo Galeno em SP junto com nosso baterista, Eduardo Baldo.

 

 

POA Show – Hibria e Distraught, quando possível, rompem as fronteiras do país e se apresentam no exterior. Existem planos de novas turnês internacionais? Quais? Para quando?

 

Abel Camargo – Sim. Esperamos que ainda esse ano, em suporte ao nosso DVD. Além de Ásia, queremos incluir outros continentes como Europa e também América do Norte.

 

Andre Meyer – Recentemente (em maio de 2012) fizemos nossa terceira tour pela Argentina para promover nosso novo álbum "The Human Negligence is Repugnant". Lá temos um forte apoio por parte da mídia e dos produtores e a galera curte muito a Distraught. Queremos muito tocar em outros países, mas precisamos planejar bem as coisas para ter um retorno positivo.

 

POA Show – Recentemente houve um episódio, bastante repercutido, onde um famoso vocalista brasileiro de Heavy Metal teceu críticas fortes ao público Metal no Brasil (citando, inclusive, o sul do país). Como as bandas enxergam a cena local e a cena nacional do estilo?

 

Andre Meyer – Acho que o Brasil é um país forte e com ótimas bandas, o que falta é um trabalho de mídia mais intenso, para que as pessoas conheçam melhor o que produzimos aqui. Acho que ainda vai mudar e melhorar muito o mercado de shows nacionais, mas devemos valorizar mais o que temos. O Brasil é muito grande, existem regiões em que há um apoio maior, outros lugares onde as coisas são mais difíceis de acontecer. Nós costumamos  dizer que gostamos de tocar onde as coisas são difíceis de acontecer, em lugares fora do eixo dos grandes festivais, lá somos muito bem vindos.

 

Abel Camargo – A cena vem crescendo bem ao longo dos anos. Cada vez mais rolam shows de médio e grande porte no país e isso acaba sendo algo muito importante pro crescimento do estilo.

 

POA Show – O que o Metal é para Hibria e Distraught?

 

Abel Camargo – Um estilo de vida.

 

Andre Meyer – Metal pra Distraught é ver um fã feliz com nossas músicas, é trocar idéias com muitas pessoas que vão aos nossos shows e beber muitas cervejas depois.

 

POA Show – Em alguns países existe ajuda governamental à música, inclusive ao Metal. No Brasil, essa não é a realidade. Existe algum tipo de apoio às bandas, que não o do público? Quais?

 

Abel Camargo – Imprensa, empresas… Mais ou menos. Geralmente, elas estão mais interessadas nas mesmas bandas de sempre e não abrem espaço para outras. Felizmente, os jornais, sites e blogs daqui dão uma força divulgando os shows e lançamentos. Também tem o programa Mundo Metal da Ipanema que sempre dá uma força para as bandas rolando o som na rádio e apoiando o que as bandas estão fazendo.

 

Andre Meyer – Isso pra nós sempre foi muito raro, contamos mesmo é com o nosso público. Da imprensa sim, temos um apoio, principalmente em nossa cidade. De empresas é que muito raro, contamos com nosso público fiel.

 

POA SHOW – Deixem um recado para os fãs gaúchos, chamando para a grande noite de quinta-feira:

 

Abel Camargo – A gente espera ver a galera em peso no Beco, na quinta, ao som dos Lançamentos de Hibria e Distraught! Além de tocar um set baseado no nosso DVD, também vamos tocar uma música do nosso próximo álbum e um novo cover de uma banda que continua sendo uma das nossas maiores influências.

 

Andre Meyer – Gurizada, estamos ansiosos pra destruir no dia 21 de junho com vocês, nosso show depende do show de vocês lá embaixo, então “bora” quebrar tudo!

 

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *