Arnaldo Antunes apresentando seu show Acústico MTV

 

Noite de quinta-feira em Porto Alegre e a noite é de expectativa. Pouco mais de um ano depois de sua última passagem pela capital gaúcha (na época, promovendo o álbum “Ao Vivo Lá em Casa”), Arnaldo retorna com um novo espetáculo: o show Acústico MTV, que, como não poderia deixar de ser, apresenta versões diferentes para as canções que construíram a trajetória do cantor. A temperatura amena e a massiva presença do público serviram para reforça a ideia de que aquela seria uma noite extremamente agradável no Opinião.

    Com 45 minutos de atraso, as luzes se concentram no palco para o anúncio do show (protagonizado por FABIANO, da Urânio Produtora) e a entrada da banda, ovacionada. Sob uma bela estrutura circular coberta com lâmpadas que desciam por entre os músicos, Arnaldo Antunes entra em cena para “Se Assim Quiser”, já surpreendendo àqueles que esperavam ver um show idêntico ao do DVD. Em seguida, aí sim a canção de abertura do Acústico MTV: “A Casa é Sua” foi a primeira a ser cantada em coro pelo público que já se aglomerava na pista do Opinião. A iluminação era um show a parte, alternando entre tonalidades claras e escuras e fazendo um belo contraponto aos elegantes ternos brancos vestidos por Arnaldo e sua competentíssima banda formada por gente de grosso calibre na música brasileira, como Edgar Scandurra (violões), Curumin (bateria) e o compositor Marcelo Janeci (teclados), além do ótimo baixista Betão Aguiar e do multi-instrumentista Chico Salem, que completavam o time responsável por traduzir em notas ritmos e acordes toda a poesia de Arnaldo Antunes.

    Sorridente, Arnaldo se dirige pela primeira vez ao público gaúcho em tom de agradecimento: “Boa noite, Porto Alegre. É um grande prazer estar aqui de volta no Opinião”. Na sequencia, “Sem Você” também agradou e ganhou um charme todo especial com a inserção do trecho inicial de “Preta Pretinha”, dos Novos Baianos, ao final da canção. Após “Nossa Casa”, “De Mais Ninguém” e a nova “Dentro de um Sonho”, Arnaldo e sua banda mandam mais um hit: “Alma”, parceria do compositor com Pepeu Gomes que se tornou bastante popular na voz da cantora Zélia Duncan. O público, predominantemente de meia idade, responde cantando a canção do início ao fim.

    “Vamos fazer um Rock and Roll”, anunciou Arnaldo antes da dobradinha “Consciência” e “Hereditário”. A composição, que apesar de fazer parte do álbum “Titanomaquia”, quando Arnaldo já não integrava mais os Titãs, é também assinada por Arnaldo Antunes, ganhou uma roupagem muito mais tranquila e menos agressiva que a que foi gravada originalmente com Nando Reis nos vocais. “Engrenagem”, “Até o Fim”, “Debaixo d’Água” e “Pedido de Casamento” mantiveram o clima da apresentação e o total desprendimento com a ordem das canções no DVD.

    Porém, os momentos mais especiais ainda estavam por vir: “Socorro”, um dos maiores clássicos da carreira solo de Arnaldo Antunes, emocionou os fãs e foi cantada a plenos pulmões pelo publico presente. “Passe em Casa”, sucesso dos Tribalistas (banda formada por Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brown), também fez o público cantar e dançar na pista do Opinião. A primeira etapa se encaminha para o final com canções “das antigas”, nas palavras do próprio Arnaldo: o interessante medley de “O Quê” e “Comida” antecedeu “Fora de Si” e “Envelhecer”.

    Após incessantes e estrondosos pedidos de “mais um”, o bis contou com o clássico “Música Para Ouvir” e três surpresas, canções que não constam no CD ou no DVD acústico: “Pense Duas Vezes Antes de Esquecer”, “Televisão” e, para encerrar com chave de ouro, a canção que não poderia faltar: a versão de “Judiaria”, de Lupicínio Rodrigues. “A gente não tinha ensaiado essa música, mas aqui ela não pode faltar”, completou Arnaldo Antunes com a simpatia que lhe é peculiar. Ao final da apresentação, mesmo com a ausência de hits como “Poder” e “O Silêncio”, o público deixou o local com a sensação de ter vivido uma noite especial, regada à poesia e música de qualidade.

    Na última vez em que Arnaldo Antunes se apresentara no Opinião, em 2009 (nesse meio tempo houve, ainda, uma apresentação no Teatro do Bourbon Country), o público deixou muito a desejar. Pouco mais de 200 pessoas que compareceram àquela apresentação. No entanto, o que se viu na última quinta-feira foi um público devoto e feliz, apreciando em sua totalidade o show proporcionado por aquele que é, ainda hoje, um dos principais compositores da história da música brasileira. Uma noite memorável de cumplicidade entre público e artista e que ficará marcada como um espetáculo que conseguiu ser, ao mesmo tempo, grandioso e intimista.

    Que venha o próximo.

 

Setlist

Se Assim Quiser

A Casa é Sua

Sem Você

Nossa Casa

De Mais Ninguém

Dentro de Um Sonho

Alma

Consciência

Hereditário

Engrenagem

Até o Fim

Debaixo d’Água

Pedido de Casamento

Socorro

Passe em Casa

O Quê / Comida

Fora de Si

Envelhecer

BIS

Musica Para Ouvir

Pense Duas Vezes Antes de Esquecer

Televisão

Judiaria

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Fabiana Menine

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *