Noite Senhor F: Fire Department Club, Frida e Dévil Évil.

                A Noite Senhor F, projeto da Produtora Senhor F em parceria com o Opinião, abre as portas, mensalmente, para bandas independentes que desenvolvem um trabalho relevante. No último domingo, dia 21, três nomes que vêm chamando a atenção em Porto Alegre foram escalados para a edição de abril. Fire Department Club, Frida e Dévil Évil fizeram shows curtos, porém marcantes, no palco do Opinião.

                Eram quase 21h30 quando a Fire Department Club, banda formada em 2011, deu início aos trabalhos. Formada em 2011 e, desde 2012 divulgando seu EP de estreia, “Colourise” a banda vem chamando atenção de público e crítica na capital. Desde a primeira canção, a ótima “Let It Go”, a banda se mostra pronta para a responsabilidade de se apresentar em grandes palcos. Boas composições, arranjos criativos e timbres excelentemente escolhidos formam a sonoridade da Fire Department Club, que pode sim, ser considerada uma das melhores bandas de Porto Alegre na atualidade. Destaque também para “Saint Tropez”, “Just Fine” e para o novo single da banda, “Merry-Go-Round”, a ser lançado em alguns meses. Um show curto, porém especial, que agradou o público que começava a tomar as dependências da casa.

                Perto das 22h30 foi a vez da Frida. O público da banda, que chegou ao longo do show da Fire Department, Tomou a pista do Opinião, mostrando que a banda já conquistou nos seus oito anos de atividade, algum respeito do público porto-alegrense. Apesar se não ser dona de uma extensa discografia (a banda atualmente prepara seu álbum de estreia e, antes disso, lançou apenas dois EPs), canções como “Pena de Mim”, “Sem Guarda-Chuva” e “Piscina” (que contou com a participação de Renan Queiroz, da Dr. Hank) chamam a atenção e agradam não apenas pela qualidade das composições, mas pela intensidade com que são executadas ao vivo. Aliás, a Frida não executa suas canções. A Frida interpreta, a Frida sente, a Frida vive aquelas músicas como quem vive algo muito forte e, por isso, elas soam muito maiores e melhores ao vivo do que nas gravações. São o que os artistas de verdade devem ser. Não foi a toa que deixaram o palco sob os gritos do público que pedia bis. Aqui está um nome para anotar e verificar onde estarão em alguns anos.

                Por fim, às 23h20 a Devil Evil, power-trio de estilo impossível de rotular, entra em cena. Com seu som pesado e difícil de digerir, apresentando letras e riffs simples e repetidos à exaustão, a banda foi perdendo público ao longo do show. Também foram prejudicados pelo som (a voz foi suprimida entre os instrumentos) e por problemas técnicos com relação à bateria, o que chegou a quase interromper o show do trio. Em seu site oficial a banda define suas apresentações ao vivo como “totalmente improvisadas em torno das canções, sendo cada show uma experiência que nunca se repete”. Provavelmente não foi uma boa noite para os caras do Devil Evil.

                Mais uma vez a Produtora Senhor F e o Opinião abriram as portas para o novo, apoiando a música que vem sendo produzida atualmente no cenário independente. Que venham cada vez mais e mais edições da Noite Senhor F, sempre com ótimas escolhas e ingressos a preços especiais. Em tempos de tantas reclamações com relação a qualidade da música atual (ou a falta dela), este é, além de um respiro de criatividade e arte, um ótimo programa de domingo para os apreciadores da boa música.

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Fabiana Menine

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *