Noite Senhor F: Eu Acuso!, Climatic Terra e Distraught.

senhorf140713-1-13p

Já tradicional na cena independente do Rio Grande do Sul, a Noite Senhor F abre espaço para os mais variados estilos. Neste domingo, dia 14 de julho, três nomes de peso dividiram o palco do Opinião: os headliners da Distraught, promovendo o excelente álbum “The Human Negligence is Repugnant”, receberam os argentinos do Climatic Terra e os porto-alegrenses da Eu Acuso! para uma noitada que ficará na memória dos fãs do estilo.

    Pontualmente às 21h, como é de praxe na maioria das edições da Noite Senhor F, sobe ao palco a primeira atração da noite: Eu Acuso!, banda de Rock com influências nítidas do Rage Against the Machine e do Stuck Mojo, apresentou um repertório baseado, principalmente, em composições próprias com letras elaboradas e recheadas de cunho político e social.  Pedradas como “A Verdade”, “Olho por Olho, Sangue por Óleo” e “Pela Janela do Bunker” demonstram toda a qualidade, experiência e energia dessa que desponta como uma das melhores bandas dos últimos anos na capital. Música, letra, postura e atitude dignas de uma banda de primeira linha, que em menos de trinta minutos conquistou o público presente.

    Pouco antes das 22h os argentinos da Climatic Terra subiram ao palco para mais uma apresentação em Porto Alegre. Os hermanos, que já haviam desembarcado cidade em 2011, também dividindo o palco com a Distraught, mostraram todo seu potencial. Capitaneados pelo vocalista inglês James Peter Joshua Wright, a banda desfilou competência com seu Thrash Metal rápido e direto. Promovendo seu recém-lançado álbum, “Entity”, a banda não deixou a desejar, mesclando técnica e bom gosto nas composições, que fugiam à simplicidade e linearidade por vezes peculiar às novas bandas do estilo. Destaque para “End of Darkness” e “We Are Not Dead”, que promoveram excelentes “walls of death” na pista do Opinião.

    Já eram quase 23h quando a atração de fundo, Distraught, entrou em cena com a porrada “Borderline”. Desde os primeiros acordes a banda prova e comprova sua força e consistência. Não existe ponto baixo ou elo mais fraco, todos os integrantes são competentíssimos. Na sequência, “My God is My War”, “Psycho Terror Class” e “Lords of Corruption” mantém o alto nível do Thrash Metal da Distraught. Após breve intervalo com um tema instrumental, o vocalista André Meyer volta ao palco vestindo a tradicional camiseta com a inscrição “Your God is Dead”. A canção de mesmo nome promove catarse na pista do Opinião e responde por um dos momentos mais brilhantes do show dos caras.

    Sem muita conversa, a banda segue apresentando material se seu álbum mais recente: após “Justice Done By Betrayers”, que rendeu um clip excelente, da faixa título “The Human Negligence is Repugnant” e da violentíssima “Insane Corporation”, a banda chama um convidado especial: Diego Kasper, ex-Hibria, se junta ao quinteto para “Hellucinations”, faixa do álbum “Unnatural Display of Art”, da qual é coautor. Ainda houve tempo para “The Order”, do álbum “Behind the Veil”, de 2004, que encerrou a excelente noite de peso no Opinião.

    Três horas de brutalidade com shows de primeira linha. Eu Acuso!, Climatic Terra e Distraught levaram ao público porto-alegrense apresentações memoráveis para os fãs de som pesado. Bandas de nível internacional, levantaram o público e botaram a casa abaixo, como manda o figurino.

    Que venha o próximo.

Por: Marcel Bittencourt

Fotos: Fabiana Menine

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *