Tchutchuca e tigrão: termos usados em debate surgiram no funk carioca

Ontem, durante o debate realizado entre os presidenciáveis, mais uma vez . Usada pela candidata Soraya Thronicke (União Brasil), a gíria do ainda ganhou companhia do termo tigrão em e candidato à reeleição pelo PL .

“Sou muito tranquila, vim na paz, bandeira branca. Só que, quando eu vejo o que aconteceu agora com a Vera, eu realmente fico extremamente chateada. Quando homens são tchutchuca como outros homens, mas vêm pra cima da gente sendo tigrão, eu fico extremamente incomodada. Aí eu fico brava, sim.”

Relacionadas

A candidata se referia à jornalista Vera Magalhães, diretamente atacada por Bolsonaro após questioná-lo sobre as vacinas da covid. Tchutchuca e tigrão tiveram um pico de buscas no ontem aproximadamente às 22h20, quando Soraya os citou no debate presidencial.

O termo renasceu depois que o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi chamado no último dia 18 de “tchutchuca do centrão” pelo youtuber e influencer Wilker Leão em uma confusão no “cercadinho” do Palácio do Planalto, em Brasília. Mas não é a primeira vez que se a expressão é usada contra um político.

Em 2019, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) afirmou que o ministro da Economia, , era “tigrão” com os aposentados, agricultores e professores, e “tchutchuca” com “a turma mais privilegiada do país” e os “amigos banqueiros”, durante a sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara que discutia a .

Em outubro de 2021 o humorista André Marinho, então um dos comentaristas do “Pânico” na TV Jovem Pan News,.

Ao questionar o presidente se “rachador teria que ir para cadeia” — referindo-se ao caso das “rachadinhas” —, ele viu o político se recusando a responder. Bolsonaro tentou encerrar o assunto dizendo: “Não tem mais conversa contigo”.

Foi quando Marinho retrucou: “Não tem? Então é isso, tigrão com humorista e ‘tchutchuca’ com , não é, presidente? É impressionante”. O humorista .

Mas de onde surgiu tchutchuca e tigrão?

Gustavo Tigrão, ex-integrante do Bonde do Tigrão, em entrevista em 2019 Imagem: Reprodução/YouTube

A “Tchutchuca” foi um hit do verão de 2001. O tigrão, que também aparece no refrão da música, é uma referência ao nome do grupo que lançou a música, o Bonde do Tigrão, que havia surgido dois anos antes na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro.

“Tchutchuca, vem aqui com seu tigrão. Vou te jogar na cama e te dar muita pressão”, diz o refrão. Vinte e um anos depois, a letra da música aparece até mesmo censurada em alguns sites pelo conteúdo erótico.

O termo tchutchuca surgiu como uma forma de os funkeiros se referirem às moças bonitas que frequentavam os bailes e com quem eles se divertiam. Com o tempo, ele acabou ganhando sentido depreciativo, já que o público identificou essas mulheres como promíscuas e submissas.

“Tudo começou lá na Cidade de Deus, nossa comunidade”, contou Leandrinho Moraes —um dos fundadores do grupo— em uma entrevista a Faa Morena na RedeTV!.

O termo tigrão surgiu de maneira completamente inusitada, já que o grupo precisava mudar de nome, já que se chamava “Os Putão da Lora”, considerado ofensivo. A mudança foi sugestão do DJ Marlboro, considerado o criador do funk carioca.

“Um ex-integrante nosso, o Gustavo, tinha uma sunga de sex shop que ele ganhou de uma namorada. Na frente não tinha nada, era uma tela lisa, e atrás tinha um tigre. Começamos a chamar ele de tigrão. Nas nossas letras tudo terminava com ‘ão’. Aí botamos Bonde do Tigrão e ficou.”

Gustavo Tigrão, responsável pela letra de “Tchutchuca”, hoje não canta mais funk e virou pastor evangélico. Ele deixou o grupo em 2005.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *