Ele viu “the dark side of the Moon” e tirou “as tais fotografias” da Terra

Foto/Reprodução.

O astronauta americano William Anders morreu aos 90 anos na queda de um aviãozinho que ele mesmo pilotava. No Natal de 1968, Anders foi o piloto do voo pioneiro da Apollo VIII.

Na década de 1960, a corrida espacial estava começando, os Estados Unidos e a União Soviética disputavam as melhores posições, e cosmonautas (soviéticos) e astronautas (americanos) eram verdadeiros heróis.

O russo Iuri Gagarin foi o primeiro homem a orbitar o nosso planeta. É dele a frase “a Terra é azul”. Depois senador, o americano John Glenn foi o primeiro homem que os Estados Unidos puseram em órbita da Terra.

A russa Valentina Tereshkova foi a primeira mulher a viajar numa nave espacial, e Neil Armstrong, ao se tornar o primeiro homem a pisar na Lua, pronunciou a frase histórica: “um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a humanidade”.

Foto/Reprodução.

William Anders não ficou famoso como Gagarin, Glenn, Tereshkova ou Armstrong, mas, em dezembro de 1968, esteve à frente de uma missão que abriu caminho para que, em julho de 1969, a Apollo XI chegasse à Lua.

A Apollo VIII foi a primeira nave a orbitar o lado escuro da Lua. Os três astronautas da missão não só viram o “dark side of the Moon”, como observaram estarrecidos o “nascer” da Terra no horizonte lunar.

William Anders é o autor da foto histórica que ficou conhecida como Earthrise – essa aí que abre a coluna nesta quarta-feira, 12 de junho de 2024. Hoje, pode parecer banal. Na época, causou grande impacto.

“As tais fotografias” a que Caetano Veloso se refere na letra da canção Terra são essas tiradas por William Anders. O compositor estava preso quando viu as fotografias numa revista, em janeiro de 1969.

William Anders não foi um Gagarin nem um Armstrong, mas a humanidade deve a ele a primeira visão da Terra, a nossa casa, coberta de nuvens, no horizonte da Lua.

Sem categoria